TREINAMENTO DE LÍDERES DE CÉLULAS LIÇÃO 8 TLC

Lição 8

O CAMINHO DA MULTIPLICAÇÃO CELULAR SEGUNDO JESUS

 

Mateus 28.18-20 é o resumo mais conciso da vida de Cristo aqui na Terra. Nossa obrigação é estudar a vida de Cristo e perpetuar a Sua missão de vida. Está bem claro na Bíblia que a vida de Cristo demonstrou que Seu propósito era criar um movimento de multiplicação que pudesse resultar no cumprimento da Grande Comissão.

Jesus disse: “Assim como tu me enviaste ao mundo, também eu os enviei ao mundo” (João 17.18; 20.21). O desejo de Jesus é que nós continuemos a fazer exatamente o que Ele fez. O livro de Atos registra como o movimento de multiplicação que Jesus começou alcançou todo o mundo conhecido.

O cumprimento de Mateus 28 é simples: fazer o que Jesus fez. Jesus deu só um mandamento em Mateus 28: “fazer discípulos”. Como? Indo, batizando e ensinando a obedecer.

  • Ir” reflete a prioridade que Jesus demonstrou quando entrou em nosso mundo para converter-se em um “amigo de pecadores” (Mateus 11.19).
  • Batizar” reflete Sua prioridade de consolidar aqueles novos crentes na obra de Cristo e então no corpo de Cristo.
  • Ensinar a obedecer reflete Sua prioridade de treinar os trabalhadores que queriam uma relação mais profunda com Cristo.

Existem três prioridades equilibradas no mandamento da Grande Comissão: buscar os perdidos, edificar os crentes e treinar os trabalhadores. O resultado da aplicação destas prioridades numa vida é um movimento de multiplicação que continua até hoje.  

A PRIORIDADE DA MULTIPLICAÇÃO

Robert Coleman diz o seguinte: “A prova de qualquer vida cristã é a multiplicação dessa vida em outros”. Da mesma forma, a prova do sucesso de qualquer ministério cristão é a multiplicação desse ministério na vida de outros.

Produzir fruto é mencionado mais de 50 vezes no Novo Testamento. Nas Escrituras, a fidelidade era atribuída à produção de frutos, a qual se associava à multiplicação. Um exemplo disso é a Parábola dos Talentos.    

EM QUE TEMOS FALHADO?

No Corpo global de Cristo dos dias de hoje é raro encontrarmos verdadeiros ministérios de “multiplicação”. Muitos crescem mediante a adição, e algumas igrejas permanecem no mesmo nível, com a assistência até mesmo diminuindo em outras áreas.

85% de mais de 350.000 igrejas nos Estados Unidos estão diminuindo em frequência ou se mantêm com a mesma quantidade de membros. 2/3 das igrejas estão crescendo porque as pessoas vêm de igrejas que estão mortas ou morrendo. Menos de 3% das igrejas nos Estados Unidos estão crescendo ou aumentando o número de novos convertidos.

No Brasil, milhares ou até milhões se convertem todos os anos. As igrejas até que se enchem, mas falta um acompanhamento consistente, um discipulado sério. Por conta disso temos muitas igrejas frágeis, superficiais, supersticiosas e sincretitas.

Jesus enfatizou com igual valor a evangelização e o discipulado. Falhamos quando enfatizamos somente um e não os dois. Ambos são inseparáveis.

 

O QUE FEZ JESUS?

Jesus tinha, cronologicamente, uma estratégia definida para criar um movimento de multiplicação: buscar os perdidos, edificar os crentes e treinar os trabalhadores. Simples, mas revolucionário.

  • Ele se preparou apropriadamente 

Jesus passou os primeiros 30 anos sendo treinado para o ministério que Seu Pai tinha para Ele.  Ele cresceu “em sabedoria, estatura e graça diante de Deus e diante dos homens” (Lucas 2.52). Ele treinou pelo exemplo.

De acordo com João 17, a obra de Cristo consiste em fazer discípulos fazedores de discípulos em cada nação, os quais podem criar e sustentar este movimento de multiplicação em todo o mundo.

  • Ele estabeleceu a base apropriada

A primeira parte de Seu ministério foi estabelecer o fundamento para um movimento de multiplicação futuro.

A primeira metade do ministério de Jesus aconteceu no deserto da Judéia. Naquele período Jesus fez só dois milagres específicos que estão registrados, desafiou cinco indivíduos a seguir-Lhe, e principalmente passou tempo com Seus seguidores originais.

QUATRO DISCIPLINAS MUITO CLARAS SE DESTACAM NA VIDA E NO MINISTÉRIO DE CRISTO:

  • Forte disciplina da oração – 45 vezes na Bíblia vemos que Jesus vai orar. Seu ministério começou com 40 dias de oração, e terminou com oração.
  • A disciplina da Palavra foi central em toda a vida e ministério de Jesus. Mais de 90 vezes Cristo citou o Antigo Testamento, referindo-se a 70 diferentes capítulos dessa parte da Bíblia.
  • A disciplina de lembrar tudo o que Seu Pai havia feito e estava fazendo. Jesus era reverentemente submisso ao Seu Pai.
  • A disciplina          de     desenvolver      relacionamentos amorosos com Seus discípulos e com as pessoas ao Seu redor.
  • Ele treinou uma equipe

Depois do primeiro ano e nove meses de ministério, o ministério de Cristo muda. Ele agora desafia cinco pessoas a ir mais profundo com Ele. Tiago, João, Simão, André e mais tarde Mateus foram desafiados a ser parte da primeira equipe de ministério de Jesus.

Esta equipe inicial ainda não são os doze apóstolos. São trabalhadores, não líderes nesta etapa de suas vidas. Ele viu seus corações e seu potencial para um impacto ministerial futuro. Eles eram mais disponíveis, fiéis, maleáveis e respondiam melhor a Sua liderança.

Nos próximos dois anos, à medida que Cristo faz destes trabalhadores uma prioridade, e também de outros que se foram se unindo a eles, estes trabalhadores aumentaram para mais de setenta.

  • Ele os exortou a servir

Depois de selecionar Sua equipe ministerial, Jesus se mudou para Cafarnaum (Mateus 4.13), onde fez mais de 30 milagres e mais de 50 acontecimentos criativos, com indivíduos e multidões. A prioridade de Jesus era capacitar Sua equipe para que se convertesse em pescadores de homens. 

  • Ele escolheu líderes principiantes Depois de investir dois anos e meio em Seus seguidores, selecionando uma equipe ministerial principal de discípulos, Jesus agora passa uma noite em oração e escolhe os doze discípulos como Sua equipe de liderança futura. Estes líderes apostólicos foram escolhidos da base de trabalhadores aprovados. 
  • Ele liberou Seus líderes

Depois de um ano de treinamento com Seus novos líderes, Jesus então lhes transferiu autoridade total. “Eu, pois, vos entrego um reino, como meu Pai o entregou a mim” (Lucas 22.28-30).  

  • Ele continuou a conduzir o processo através do Seu Espírito

A última promessa de Jesus foi que Ele estaria com eles para sempre, até a consumação dos séculos (Mateus 28.20). O Espírito Santo agora era a fonte de “poder do alto” (Lucas 24.49) que continuaria o movimento de multiplicação através da história.

O livro de Atos registra a liderança do Espírito Santo neste movimento. Os discípulos aprenderam a depender plenamente Dele para direção e guia total. Abaixo você encontrará alguns dos atos do Espírito Santo:

  • Atos 1.8: “O Espírito Santo” veio;
  • Atos 1.16: “O Espírito Santo falou”;
  • Atos 2.4: “Foram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito lhes concedia que falassem”;
  • Atos 4.25: “Mediante o Espírito Santo… disseste”;
  • Atos 9.31: “Com o consolo do Espírito Santo”;
  • Atos 11.12: “O Espírito me disse”;
  • Atos 11.28: “Deu a entender pelo Espírito”;
  • Atos 13.2: “O Espírito Santo disse: Separai-me a Barnabé e a Saulo”; 
  • Atos 13.52: “Os discípulos estavam cheios de gozo e do Espírito Santo”; 
  • Atos 15.28: “Pareceu bem ao Espírito Santo e a nós”;
  • Atos 16:7: “O Espírito de Jesus não o permitiu”;
  • Atos 20.23: “O Espírito Santo me dá testemunho”;
  • Atos 20.28: “O Espírito Santo vos colocou como bispos”;
  • Atos 21.4: “Mediante o Espírito eles diziam”.

 

No decorrer dos anos o movimento de Cristo tem crescido em todos os lugares. Falta saber se nós, líderes em geral, tanto líderes de células como líderes em instâncias maiores, estamos andando como Jesus andou. Será que dependemos do mesmo Espírito Santo e andamos em íntima sujeição a Ele como faziam os irmãos da Igreja Primitiva? Tanto no passado como hoje, o mandamento permanece o mesmo: fazer discípulos de todas as nações! 

  • À medida que nossas igrejas e ministérios crescem, temos que avaliá-los a partir do ponto de vista de uma Cristologia forte. Estamos fazendo o que Jesus fez?
  • Nós e nossa equipe de liderança entendemos claramente a missão e a paixão de fazer discípulos?
  • Temos estabelecido um fundamento sólido baseado nas disciplinas de dependência de Deus, a Palavra, a adoração e o companheirismo?
  • Estamos identificando e pondo como prioridade uns poucos trabalhadores, que são mais dedicados? Depois chegamos aos outros.
  • Estamos apresentando o modelo e ajudando a servir como um estilo de vida?
  • Estamos desenvolvendo uma equipe de liderança que claramente vive e supervisiona a missão de fazer discípulos?

 

  • Temos capacitado e enviado esses líderes para multiplicar-se sob a liderança do Espírito Santo?
  • Estamos ouvindo bem as direções do Espírito Santo para os próximos passos que devemos dar no ministério das células e no Reino de Deus?

 

OS AUXILIARES: LÍDERES DE CÉLULAS EM POTENCIAL 

Um dos grandes segredos para uma multiplicação bem sucedida é um bom líder de células sendo formado. Como todas as formas de vida natural se reproduzem de acordo com a sua espécie, assim também é em termos espirituais. Bons líderes de célula vão se reproduzir de acordo com a espécie da qual provêm, e assim a cadeia de cuidado e crescimento continua avançando.

Como podemos determinar que alguém tem o potencial de se tornar um poderoso líder de célula? Primeiro, pelo discipulado que opera na vida dele, tanto em termos pessoais como ministeriais. Segundo, pelo investimento continuo que os discipuladores e líderes fazem de confiar nele, empurrá-lo em direção a desafios e assessorá-lo nas suas tentativas iniciais de acertar o alvo.

Como características de um poderoso líder de células, podemos seguir um simples acróstico chamado FACES:

  • Fiel – Ele é fiel a Jesus, à igreja e á célula?
  • Abnegado – Ele dedica tempo sacrificial às pessoas da sua célula?
  • Comprometido – Ele tem o alvo claro e definido de buscar o sucesso da célula acima de qualquer projeto pessoal?
  • Ensinável – Ele está aberto a feedback/sugestão de outros?
  • Servo – Ele coloca os outros em primeiro lugar?

 

Ao buscar um líder de células, o que procuramos acima de tudo? Não devemos procurar características prontas, habilidades já testadas e aprovadas. Nesse serviço não existe experiência anterior: cada novo crente, cada auxiliar, cada líder que surge é uma planta nova, frutificando pela primeira vez nesta visão, mas com garantias de um crescimento certo, com promessas preciosas de um futuro ministerial aprovado por Deus. E tudo por quê? Porque estão cuidando de vidas, valorizando o bem mais precioso que Jesus tem sobre a Terra: Suas ovelhas!

PLANEJANDO A MULTIPLICAÇÃO DA SUA CÉLULA

O que se segue são passos que, se postos em prática, ajudarão a fazer da multiplicação da sua célula um acontecimento saudável e reproduzível. Todos querem multiplicar a sua célula, afinal esse é um dos maiores indicadores de que a vida da célula está acontecendo de acordo com os processos naturais, pois uma célula saudável sempre se multiplica. Como fazer, então? O que precisamos saber, e como fazer aquilo que aprenderemos?

 

1. Não tenha um alvo percentual para o número de membros da célula

Se você estabelece um alvo de ter 75% dos membros de sua célula envolvidos ativamente no discipulado e frequentando fielmente a célula toda semana, você estará dizendo com isso que deseja que 25% por cento não estejam em discipulado nem sejam tão fiéis assim.

O correto é desejar que todo mundo esteja envolvido no discipulado e na fidelidade às reuniões, de tal maneira que haja sempre uma progressão normal de crescimento em todas as pessoas que se juntam à sua célula. Concentre-se em promover os benefícios disponíveis em Deus para a vida da célula e confie que Deus vai trazer cada vez mais pessoas comprometidas para a reunião.

 

2. Cuidado ao estabelecer alvos com relação ao número de células que você quer alcançar dentro de determinado período de tempo

Do mesmo jeito que os percentuais, devemos ter certeza de que estamos seguindo a direção de Deus ao definir números e quantidades de antemão. Uma nova célula deve surgir sempre que um novo líder esteja pronto e sempre que as pessoas estiverem prontas para este passo. Em alguns casos isto acontece muito rápido, em outros leva mais tempo. Em qualquer caso, não são as pessoas ou o novo líder que devem estar preparados por si sós, mas os líderes que devem promover uma cultura de amadurecimento, preparo e prontidão.

 

Alvos não são sonhos, desejos fortes de que algo aconteça. Alvos são planos bem traçados, bem elaborados e regados com muita oração e trabalho!

Quando as pessoas são colocadas em posição de liderança muito cedo, quando ainda não estão prontas para determinada responsabilidade, e isso pode comprometer os resultados da célula. Pode até atrapalhar a vida pessoal daquele novo líder.

 

3. O pastor titular deve transformar em prioridade o ensino sobre a importância das células

Nas igrejas do MDA é quase uma redundância falar desta prioridade. Seja nas ministrações de domingo, seja nos retiros e eventos da igreja, as células e o discipulado sempre são o carro-chefe. O púlpito é o melhor lugar de onde se deve transmitir a visão e motivar os membros.

Se nós acreditamos que há base na Palavra para encorajar o florescimento de células fortes e poderosas por toda a cidade, em todas as igrejas, precisamos, então, retransmitir esse ensino com toda energia para a congregação. Se o pastor deixa bem claro que as células são vida de Deus para o Seu povo, e que a igreja precisa abraçar com todas as forças esse ministério, então ele verá mais esse desejo reproduzido nos membros, com bastante amadurecimento e participação na visão celular.

 

4. Encontre maneiras de reconhecer publicamente as células existentes

Antes de tudo, isto faz com que as pessoas que ainda não estão nas células saibam quem são os líderes. Caso alguns ainda não estejam em células, poderão ver quem são os líderes e assim procurar envolver-se nas reuniões.

Em segundo lugar, as pessoas gostam de receber reconhecimento e apreciação pelo seu trabalho. Quando isto é feito em público, estamos lhes dando reconhecimento por algo que eles fazem lá nas casas, nos bairros, longe dos palcos.

Finalmente, esse reconhecimento gera nos outros o desejo de também querer ser líderes, e assim estaremos lançando as bases para que mais pessoas aspirem a ter suas próprias células.

 

5. Crie um sistema de acompanhamento para os líderes existentes

Desenvolva um sistema de supervisão com aqueles líderes mais experientes, mais dedicados e que já multiplicaram suas células várias vezes. Estando qualificados, e se tiverem tempo, são eles que vão discipular e supervisionar os novos líderes e as novas células. Coloque os novos líderes debaixo destes, levando em conta a afinidade e a origem das novas células surgidas.

À proporção que as células crescem, vão surgindo também novos níveis, novas estruturas, e alguns líderes vão subindo nas posições hierárquicas. No caso da Igreja da Paz, todos os seus pastores hoje em posição de liderança alta, sem exceção, passaram pelo sistema paulatino e gradual da estrutura celular. Ninguém entra pela janela!

 

6. O líder deve ter um braço direito funcional

Por muitas razões: para compartilhar os fardos, delegação responsabilidades, ajudar na administração do tempo, prestação de contas, etc. Os líderes de células, em qualquer dos níveis de liderança ou supervisão, devem ter sempre alguém trabalhando em próxima parceria com eles. Eles devem compartilhar o mesmo coração para com o trabalho das células. Na sequência, essa pessoa vai poder fazer igual ou melhor na construção de sua própria célula, setor, área, distrito, região ou rede.

 

7. Encoraje as pessoas a frequentarem as células existentes antes de começarem as novas

Quando as pessoas participam de células vibrantes e saudáveis, elas têm uma noção complete da vida da célula, do coração da igreja local. Isto lhes dará uma identidade grupal, elas falarão mais facilmente a mesma linguagem e reproduzirão os mesmos valores.

Um dos grandes motivos para as pessoas começarem novas células é quando as células originais estão muito grandes, e quando novos líderes já estão formados, prontos para cuidar de parte do rebanho. E devemos lembrar, sempre, que o melhor lugar para encontrar novos líderes é dentro da célula que está em andamento. Não é saudável contar com líderes que “caem de páraquedas”, ainda que sejam da mesma igreja, rede, distrito ou área.

A boa ave choca seus próprios ovos, não ficando atrás dos filhotes alheios já crescidos. Mesmo assim, devemos estar atentos para os casos de adoção espiritual e ministerial, pois eles existem. Só não devemos retirar filhotes do ninho dos outros, quando eles não estão órfãos.

8. Descubra os novos líderes dentro das células já existentes

Onde mais? A melhor pessoa para liderar uma nova célula é alguém que está sendo fiel à célula onde ela frequenta. Ali ela tem relacionamentos, conhece as pessoas e tem a oportunidade de ministrar aos demais membros. Se a pessoa quer liderar, mas tem um histórico de ausências injustificadas na célula, tem tendência a ficar desanimada, e não está disposta a discipular pessoas e fazer visitas, é bom ficar com um pé atrás e pensar bem antes de colocá-la numa posição de liderança. Baseie a sua escolha em caráter aprovado, não em dons e personalidade carismática.

 

9. Saiba encontrar e preparar seus novos líderes

Não é bom que os pastores se reúnam para escolher quem serão os novos líderes para as novas células, sem levar em conta a opinião dos líderes que já estão lá, com a “mão na massa”. Em alguns lugares chega a acontecer de uma pessoa ser convidada pelos pastores para liderar uma célula ou setor, e seus líderes mais próximos ou discipuladores nem sequer serem consultados antes, nem informados, depois do fato ter sido consumado. De repente os líderes e supervisores de célula descobrem que pessoas chaves em suas células não estão mais lá, porque foram tiradas para liderar debaixo de outro setor ou local. Isto não é saudável. E graças a Deus isto não pode acontecer nas células MDA.

CONSELHOS PRÁTICOS PARA SELECIONAR E PREPARAR NOVOS LÍDERES

Se a célula é saudável, haverá sempre novas pessoas chegando e novos líderes sendo treinados. Assim, a multiplicação será uma consequência natural. Haverá um pipocar continuo de novas células e novos líderes.

Geralmente o melhor momento para a célula se multiplicar é quando as pessoas pedem para que isto aconteça. Mas pode acontecer de as pessoas se amarem tanto, gostarem tanto de estar juntas que não queiram se separar por nada. Nesse caso, precisamos gerar neles uma mentalidade de expansão, de alargamento.  Em qualquer dos casos, garanta que o Espírito Santo esteja conduzindo o processo!

O próprio Espírito Santo vai conduzir o processo, preparar os líderes e os membros – para saírem e começarem novas células – quando nos rendermos inteiramente a Ele. Ainda assim há alguns princípios práticos que podemos observar.

Se você percebe que há na sua célula algumas pessoas prontas para serem os novos líderes, pergunte ao seu discipulador, supervisor ou pastor o que ele pensa. Se ele acha uma boa ideia, comece a investir na pessoa para ser um dos próximos líderes. Se a pessoa não abraçar a ideia de primeira, não force a barra, vá com calma. Deixe Deus fazer a parte Dele. Se a pessoa demonstrar muito interesse e corresponder ao investimento, comece então o seu treinamento prático. Isto pode ser feito sistematicamente, de várias maneiras.

  • Determine um tempo para reunir-se regularmente com a pessoa. Discuta seus planos para a próxima reunião da célula, e mostre-lhe o que você pensa fazer. Pergunte a opinião dela para ver o que ela poderia fazer diferente e explique suas estratégias e alvos para as reuniões.
  • Discuta a última reunião, para ouvir a opinião da pessoa sobre o que ela gostou muito e o que poderia ter sido feito diferente. Deixe que ele o ajude a planejar a próxima reunião e as atividades da célula para as próximas semanas.
  • Encoraje seu auxiliar a orar pelos outros membros todos os dias (considerando-se que o próprio líder já faz isto todos os dias). Garanta que ele esteja em constante contato com seus próprios discípulos e outros membros da célula, para ajudá-los em seu andar cristão, família, trabalho, etc.
  • Durante as reuniões da célula, experimente de vez em quando separar o grupo em dois, e deixe que o auxiliar ministre para metade do grupo a mesma coisa que você fará com a outra parte. É claro que ele deve saber desta manobra com antecedência. Mais tarde, na mesma reunião, quando você ajuntar todo o grupo de volta, peça um feed-back informal de como foi a experiência ali “do outro lado”. Pelas respostas você poderá ter uma ideia de como ele se saiu.
  • Um dos próximos passos seria deixar o auxiliar planejar toda a reunião da célula e liderar com você presente. Ajude-o, se for necessário, mas deixe que ele seja o líder e os outros saibam disso. Depois, converse com ele sobre o seu desempenho, e dê-lhe conselhos sobre como melhorar, elogiando-o nas coisas que ele foi bem e motivando-o com palavras animadoras.
  • Sentindo que a hora é chegada e que os auxiliares estão prontos (depois de muita oração), compartilhe com a célula que a multiplicação já é um processo em construção, e pergunte o que eles acham. Peça que eles orem sobre o assunto. Discuta com o auxiliar principal quem você acha que deveria sair com ele.
  • Sendo o momento exato de Deus, mesmo antes que a gente fale, as pessoas já estarão sentindo o mesmo nos seus corações, e até já sabem entre elas quem vai com o novo líder e quem fica com o “antigo”. 
  • De preferência, não deve ser o líder antigo quem pergunta para as pessoas se elas querem mudar com o novo líder. Os líderes das duas (ou mais) células devem combinar entre si e deixar que o novo líder seja aquele a fazer as perguntas. Parece mais natural, e as pessoas não ficarão constrangidas em ter que dar a resposta, seja ela qual for.
  • Se ninguém está querendo sair com o novo líder para formar a nova célula, então o processo de preparo para a multiplicação não foi bem feito. Alguma coisa deixou de ser feita, como preparar as pessoas para este momento tão importante. É por isso que um dos fatores indispensáveis nas reuniões de todas as células MDA é passar a visão.
  • Se todas as coisas estiverem bem ajustadas, marque a data e prepare o nascimento da nova célula. Façam uma grande festa de multiplicação, tenham muita comida e bebida de crente, muita música e alegria, e despeçam os irmãos da nova célula com oração.

 

CIRCUNSTÂNCIAS ESPECIAIS

  • Se uma pessoa quer mudar de célula, faça questão de averiguar se está tudo certo quanto a isso na célula de onde ela está vindo. A mudança pode ser por motivos de trabalho, distâncias, horários, afinidades etárias ou profissionais, de gênero, etc. Pode ser problemas na outra célula, e nesses casos ela tem que seguir os princípios de Mateus 18.
  • O líder anterior deve saber que a pessoa pretende mudar de célula, e deve dar a sua bênção e permissão. Caso ele não dê, e não tenha uma justificativa aceitável para isso, a pessoa deve procurar o líder que está sobre o líder. Mas nunca vá para o próximo nível sem antes ter falado diretamente com a pessoa responsável mais próxima.
  • É mais fácil quando a transferência acontece dentro da mesma Rede, Região Distrito, Área ou Setor, pois aí existe uma identidade, uma cor, e todos terminam se entendendo com mais tranquilidade.
  • Outras vezes a transferência acontece para células de “bandeiras” diferentes (Rede, Região, Distrito, Área, Setor), para a cobertura de outra supervisão. Mesmo dentro da mesma igreja, não é tão fácil. Aqui é preciso exercer um forte espírito de amor e quebrantamento, sabendo que o Senhor Jesus é o elo maior que une todos debaixo da mesma graça e propósito.
  • O Espírito Santo vai nos ajudar a administrar e combinar a ideia de não perder ninguém com a outra ideia de ser humildes, ceder para os irmãos, dar o primeiro lugar ao outro e considerá-lo superior a nós mesmos. Ele mesmo vai nos ensinar a amar, cuidar, proteger e entregar a ovelha para alguém que vai cuidar igual ou melhor que nós, quando for o caso. Ela permanece no mesmo aprisco, apenas num canto diferente do pasto. Isto significa dentro da mesma igreja, diga-se de passagem!
  • Caso alguém peça para mudar de igreja, devemos observar aqui os mesmos princípios de amor e de humilhação – fazendo de tudo, consertando tudo – para que a pessoa fique. Se mesmo assim ela ainda quiser ir, devemos levar o caso aos líderes acima de nós, que saberão o que fazer.
  • Se mesmo depois de passar pelo “aperto de amor” dos pastores a pessoa ainda quiser mudar, ela será abençoada, mas a liderança vai crer que um dia ela voltará, se assim for o desejo de Deus. O nosso é! 

 

CONCLUSÃO GERAL

Este material termina por aqui, mas o treinamento continua. As experiências e o aprendizado continuam. Cremos que muitos liderados serão gerados e lançados aos campos, para a glória de Deus e terror do inimigo.

Sabemos que Deus está levantando uma geração nova de líderes em Sua igreja, totalmente apaixonada por Jesus e pela Sua obra. Homens e mulheres, jovens e crianças totalmente voltados para o cuidado individualizado das vidas, cheios de fé, santidade e obediência a Deus.

Já vemos o povo fazendo bom uso do ministério que está sendo colocado em suas mãos. Já vemos os mestres, os pastores, os evangelistas, os profetas e os apóstolos empenhados corretamente em equipar a igreja toda para fazer a obra de Deus. E vejo esta igreja cumprindo fielmente a sua tarefa.

Vemos famílias curadas, restauradas, expressando a vida de Deus pelo seu comportamento. Vemos os vizinhos, parentes e amigos dos crentes de nossas igrejas sendo atraídos para Cristo sem muitas palavras ou pregação, apenas pelo testemunho dos filhos de Deus.

Vemos milhares e milhares de missionários brasileiros se levantando e indo a todas as nações da Terra, implantando poderosas igrejas que refletirão a mesma fé e os mesmos valores. Vemos Deus habilitando a Sua igreja para reinar com Cristo. Tudo isso através das células, através líderes de células apaixonados e bem sucedidos. Cheios de Deus, esta geração fará história. Não podemos mais dizer “quem viver verá”, porém “estamos vivendo e vendo” as maravilhas do Senhor.

Cada líder de célula é um pastor, uma ferramenta poderosa na mão de Deus para promover o avanço do Seu Reino aqui na Terra. Assim como alguém investiu nele, discipulando-o para ser uma bênção e um sucesso, assim ele fará com outros, numa cadeia incessante de crescimento e reprodução.

Deus nos ajude a cuidar bem das Suas ovelhas. Deus nos ajude a negociar bem, até que Ele volte, com os talentos colocados em nossas mãos!

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 

ALVARADO, Alex. Lo que el pastor debe saber sobre La estrategia celular. Ministerio Desarrollo Cristiano Internacional. 2008.

CHOPE, Ralph. Planning to grow and multiply your small group ministry. Andover, MA, USA: Helium, 2010.

COMISKEY, Joel. Cell Church Solutions. Moreno Valley, CA, USA: CCS Publishing, 2005.

_________. Home cell group explosion. Colorado Springs: Touch Publications, 1998.

_________. Dez atitudes práticas para líderes que sonham com conquistas. Publicado em Mensagem para as Células. Fortaleza, 2009.

COMUNIDADE EVANGÉLICA MENONITA. Missão de evangelismo da célula. Goiânia: Menonita, 2010.

FERNANDO, Ajith. Jesus Driven Ministry. Wheaton: Crossway Books, 2002.

HELMING, Brent. Adoração em um grupo caseiro. Lisboa: Blog Igreja em Células, 2007. Disponível em http://celulas.blogs.sapo.pt/6702.html

HENDRICKS, Howard. Cómo motivamos. Apuntes Pastorales, Vol. III, N° 5 y 6. San José, Costa Rica: Desarollo Cristiano Internacional, 2009.

HENRIQUE, Paulo. O código genético. In site: Grupo Escolar, você atualizando o mundo. Disponível em: http://www.grupoescolar.com/materia/o_codigo_genetico.html

HUBER, Abe. MDA e o coração da igreja local. Fortaleza: Igreja da Paz, 2008.

IGREJA CRISTÃ KAIRÓS. O que são células. Lisboa: Ministério Internacional Kairós, 2009.

JIMÉNEZ, Fernando Alexis. Manual de plantación de células. Ciudad de Mexico: Heraldos de la Palabra, 2009.

KREIDER, Larry. Princípios poderosos a ser observados num ministério de células. From Ministries Today Magazine. Tradução e adaptação Ivanildo Gomes. Publicado na Revista MDA Nº 03. Santarém, 2004.

MACEDO, Jair Francisco. Restaurando relacionamentos quebrados. Goiânia: Igreja Presbiteriana Pedra Viva, 2009.

MONTE SIÃO, Igreja. O compartilhamento da palavra. Guarapari: Monte Sião, 2009. Disponível em http://www.montesiao.pro.br/visao/reuniao_celula.htm.

NEW LIFE CHURCH. Youth Cell Leaders Training Handbook. USA: 2008.

REVISTA MDA. Conselhos práticos para os líderes das células. De Pastoral Training Booklets (George Patterson). Tradução Ivanildo Gomes. BC, Canada: Train & Multiply, 2004.

SHEPHERD, Mike. Jesus as a small group leader. Carol Stream, IL, USA:  SmallGroups.com. Christianity Today International Magazine, 2008.

SOUSA, Sebastião Liberal de. Células de crescimento e multiplicação. Boa Vista: Igreja da Paz, 114

SPADER, Dan. Crear un elemento de multiplicación. Sonlife ministries. USA, 2009. Disponível em http://www.wcg.org/Espanol/articulos/ crear_un_elemento_ de_ multiplicac.htm

TODA BIOLOGIA. Genoma humano e Projeto genoma. In site: Toda a biologia.com. Disponível em: http://www.todabiologia.com/genetica/genoma.htm

share

Deixe um Comentário...

WhatsApp Br