TREINAMENTO DE LÍDERES DE CÉLULAS LIÇÃO 3 TLC

Lição 3

AS CINCO FUNÇÕES DA CÉLULA

Só para relembrar, como efeito de compreensão, o que é uma célula?

Uma célula é um grupo de cinco (05) a dez (10) pessoas, que se reúnem uma vez por semana com o objetivo de crescimento e multiplicação. (Batista da Glória)

A célula tem muitas funções. Na visão do MDA, muitas funções são observadas e reconhecidas, mas, na prática operacional do dia-a-dia, destacamos cinco delas, as quais julgamos extremamente essenciais, e que englobam todas as demais.

As cinco funções são uma maneira pela qual podemos medir a temperatura e a atmosfera espiritual e social da célula, e assim garantir que ela cumpra o seu papel no Corpo de Cristo.

 

Primeira Função

EVANGELISMO E INTEGRAÇÃO

 

  • Quem está cheio de Jesus vai automaticamente atrair outros para si mesmo, para a célula, para a igreja e para o Senhor Jesus. Agora, uma vez que a pessoa entregou a vida para Jesus, ela tem que ser cuidada e integrada na vida da igreja local.
  • Algumas pessoas tomam uma decisão inicial por Jesus e depois não vão mais à igreja. Por quê? Porque se sentem “um peixe fora d’água”.
  • Nesse sentido, a célula serve como uma ponte de integração para dentro da igreja local. Assim, a pessoa não se sentirá como “peixe fora d’água”, e sim como uma parte integral da igreja.

 

COMO A AMIZADE FAZ A DIFERENÇA NO EVANGELISMO

  • A amizade quebra preconceitos e resistências;
  • A amizade derruba barreiras as mais diversas;
  • A amizade aproxima as pessoas, encurtando as diferenças;
  • A amizade leva ao conhecimento de Cristo;
  • A amizade é o caminho que Deus usa para atrair homens e mulheres para a salvação em Jesus;
  • Precisamos ganhar as pessoas primeiro para nós, depois nós as ganhamos para Cristo.

Para conduzir pessoas a Cristo, nós ganhamos amigos, e não inimigos.

Assim, nós transformamos inimigos em amigos, amigos em irmãos  salvos em Cristo, irmãos em discípulos, e discípulos em líderes.

 

O EXEMPLO DAS CRIANÇAS NAS FESTAS E LUGARES PÚBLICOS

 

  • Em festas de aniversário, em restaurantes, nas escolas, em retiros e na própria igreja, é muito interessante ver como as crianças iniciam seus relacionamentos;
  • As crianças chegam aos eventos meio tímidas, encostando-se nas paredes, agarradas às pernas dos pais e mães, mas, aos poucos, vão encontrando meios de chamar a atenção umas das outras;
  • Às vezes uma puxa um brinquedo diferente, abre um saco de bombons, ou usa qualquer outro artifício que sirva de abertura;
  • Em pouco tempo já estão correndo, subindo nos brinquedos, jogando bola juntos, nadando na piscina, etc.. Muitas vezes, os adultos só se aproximam uns dos outros em lugares públicos porque seus filhos abriram a porta primeiro;
  • O mesmo princípio deve se aplicar à igreja, às células, ao evangelismo;
  • O Projeto Natanael-3 é uma das estratégias mais eficientes para ganhar amigos e conhecidos para Jesus;
  • Pelo Projeto Natanael você ora regularmente, durante certo período, por três pessoas específicas, até vê-las convertidas ao Senhor. Normalmente fazemos isso próximo de uma campanha, de um evento de colheita promovido pela igreja;
  • Quando o Natanael se converte, passa logo a ser integrado na célula e na igreja, e a ser discipulado; quando não, ainda continuamos a orar e a investir nele, mas não com aquela concentração cerrada: colocamos outro no lugar, mas não o abandonamos, apenas diminuímos a marcação colada;

 

O SEGREDO DA BOA INTEGRAÇÃO

  • Num certo sentido, é mais importante integrar alguém na vida da igreja local do que levá-lo a tomar uma decisão pública. Por quê? Porque se ele estiver integrado na vida da igreja, ao ponto de não querer mais sair (pois tem ali preciosa amizade e relacionamentos), mais cedo ou mais tarde ele entregará a vida para Jesus, porque estará sendo constantemente exposto à Palavra de Deus e ao Espírito Santo;
  • Se a pessoa somente tomar uma decisão superficial de seguir a Jesus, e não for integrada na vida da Igreja local, ela se torna uma presa fácil para as mentiras do diabo,
  • Uma das chaves para essa integração é o cultivo de relacionamentos de profunda amizade. Se uma pessoa se sente que ela tem amigos genuínos em um lugar, ela tende a querer continuar a frequentar aquele lugar. Ela pensa assim: “Eu tenho relacionamentos preciosos e amizades profundas aqui; quero ficar voltando”; 
  • O segredo principal de cultivar essa amizade profunda é você ser cheio do amor de Jesus e assim demonstrar esse amor genuíno, dando atenção e investindo tempo na vida da pessoa que você quer ganhar para Jesus;
  • Uma das maneiras poderosas de cultivar essa amizade profunda é através de eventos sociais, oficiais e extraoficiais, realizados pelos irmãos da célula. Esses eventos incluem café da manhã, retiros, piqueniques, almoços, jantares, aniversários, chás de bebês e chás de casamento, vigílias de oração, atividades esportivas e de recreação, etc.;
  • Lembre-se: uma amizade profunda não é cultivada com uma conversa superficial de cinco, dez ou até mesmo de vinte minutos. É necessário investir tempo para ouvir o coração da pessoa e assim integrá-la na vida da igreja.

 

A IMPORTÂNCIA DOS GRUPOS DE EVANGELISMO (GE’s)

  • Um GE (Grupo de Evangelismo) é uma reunião periódica, programada, pré-definida, objetivando levar pessoas a Cristo de maneira informal e espontânea;
  • O GE pode ter duas (02) pessoas ou vinte (20), ou mais, contanto que exista uma definição de tempo e atividades;
  • Qualquer cristão maduro, comprometido com Jesus e com a sua igreja, e com a devida bênção de seu discipulador e liderança de célula, pode começar um GE;

 

O GE acontece em lugar e horário pré-definidos e têm início e fim programados, pois o objetivo é ganhar pessoas para Jesus;

  • Os GE’s são mais breves e informais que o culto de celebração e a célula;
  • Os GE’s ajudam a criar vínculos de amizade e gerar forme e sede pela salvação em Cristo;
  • GE’s são um ambiente menos eclesiástico e litúrgico, deixando a pessoa desarmada e mais à vontade para questionar e se expor à Palavra;
  • As pessoas do GE que forem se convertendo aos poucos, podem ser inseridas numa célula – a célula onde congrega o líder daquele GE;
  • Diferentemente da multiplicação, o GE é outra excelente ferramenta para dar origem a novas células;
  • Quando muitas pessoas se convertem ao mesmo tempo, e aquele líder de GE preenche os demais requisitos para tornar-se líder de célula, o GE pode converter-se automaticamente numa célula;
  • Se depois de determinado tempo elas não se converteram, não faz sentido continuar evangelizando indefinidamente. Continue dando atenção para aquela pessoa, mas não de uma maneira tão sistemática e insistente – procure formar novos GE’s, com pessoas mais abertas e responsivas.

 

COMO GARANTIR UMA BOA INTEGRAÇÃO

  • Se o contato da pessoa com as reuniões da igreja começou pela célula, a integração deve ter início ali mesmo, na célula, com os irmãos sendo amorosos e atenciosos com aquele ou aquela visitante;
  • Se o contato for direto com a celebração de domingo, o acolhimento e as pessoas que o levaram – que o conhecem, ou que estejam por perto na igreja – devem dispensar-lhe toda a atenção e cuidado;
  • Logo após a conversão, o novo decidido deve receber uma fono visita em 24 (vinte e quatro) horas, para dar-lhe as boas vindas à família, e a marcação de uma visita pessoal;
  • Ainda na primeira semana da conversão ele deve ser inserido numa célula, se ainda não estiver, e começar o Acompanhamento Inicial – discipulado um a um;

Membros ativos e frutíferos foram conquistados porque as pessoas se interessaram por elas;

  • Membros ativos e frutíferos foram conquistados porque foram convidados para almoçar ou fazer outras refeições nas casas dos líderes ou de outros membros mais antigos;
  • Membros ativos e frutíferos foram conquistados porque as pessoas da célula e da igreja se preocuparam com suas famílias;
  • Membros ativos e frutíferos foram conquistados porque sentiram que as pessoas demonstraram genuíno interesse por eles;
  • Quando as pessoas são amadas e valorizadas, suas mentes e se seus corações se abrem para aquilo que temos a dizer.

 

Segunda Função

PASTOREIO E DISCIPULADO

 

  • Como podemos cuidar bem de cada pessoa? Como garantir que as necessidades espirituais básicas da pessoa serão supridas, seus questionamentos respondidos e seu crescimento contínuo assegurado?
  • A principal função do pastor não é cuidar das ovelhas; sua função prioritária deve ser preparar os santos para que eles aprendam a cuidar pessoalmente das ovelhas;
  • Nossos líderes de células são verdadeiros heróis, pois são eles que pastoreiam as ovelhas no dia a dia das células, formando uma grande equipe pastoral com o pastor titular e todos os demais líderes da igreja;
  • Deus tem gerado no interior das ovelhas esse coração de pastor, de maneira que eles desejam ser líderes de células e apascentar outros;
  • É muito gratificante saber que, ao mesmo tempo em que sou discípulo de Jesus, sou também cooperador Dele como pastor, equipando os outros irmãos para cada um cuide daqueles que o Senhor lhes confiou;
  • A palavra “pastor” vem de uma raiz que significa “proteger“, da qual nós temos o termo “pastor de ovelhas“. O termo grego é ń = poimén, e significa “aquele que apascenta como um pastor, pastor, cuidador de ovelhas”;
  • Na função de um pastor/líder está incluído nutrir, ensinar e cuidar das necessidades espirituais do corpo;

O líder pessoalmente não é obrigado a discipular todo mundo, cuidar de todos sozinho, pois ele, com certeza, não dará conta de tão grande tarefa;

  • Como a pessoa deve ser bem cuidada através da célula, cada líder de célula deve providenciar um discipulador que vai ajudar o novo membro nesse processo de integração e crescimento;
  • Os outros discípulos na célula são auxiliares que devem estar revestidos do mesmo espírito de amor, cuidado e visão correta das prioridades de Deus, e assim ajudarão a manter esse padrão de cuidado e integração;
  • Temos que cuidar bem das pessoas que Deus nos dá porque Ele nos pedirá contas por cada um daqueles que um dia foi entregue aos nossos cuidados;
  • O bom pastoreio e discipulado de todos os membros da célula é uma das condições para o nosso crescimento futuro: se formos fiéis no pouco, Deus nos colocará sobre o muito.

 

OUTRAS CONSIDERAÇÕES SOBRE O DISCIPULADO UM A UM

 

  • Discipulado pessoal é uma prioridade crucial, ética e estratégica para o desenvolvimento da igreja toda;
  • Os dois somos discípulos de Jesus, e discipulado é ajudar outro crente a se tornar um melhor discípulo de Jesus;
  • Discipular exige estar na mesma célula juntos (especialmente nos estágios iniciais), e juntos crescer em serviço a Deus e ao próximo;
  • Discipular é diferente de apascentar, pois discipular é mais pessoal, mais direto, e produz resultados mais eficazes e duradouros;
  • Devemos orar regularmente por crentes famintos de discipulado, e que por sua vez vão querer reproduzir isto na vida de outros;
  • Nossos discípulos precisam ter fome e sede da Palavra de Deus, e precisam igualmente encontrar em nós canais competentes por onde flui a vida e a Palavra de Deus para alimentá-los;
  • Nossos discípulos precisam falar de Cristo com toda intrepidez e ousadia, e ao mesmo tempo servir aos outros cristãos com alegria e abnegação;
  • Nossos discípulos precisam dar passos assustadores de fé, bem como achar tempo para crescer.

 

Terceira Função

COMUNHÃO

  • A verdadeira comunhão bíblica acontece em um contexto onde cristãos verdadeiros estão buscando intimidade com Deus e relacionamentos sadios uns com os outros (Atos 2.46,47).
  • A VISÃO DO PURÊ DE BATATAS é a grande ferramenta da comunhão bíblica;
  • O livro “O Purê de Batatas” oferece uma compreensão ampla para todos que querem cuidar daqueles que se achegam à sua célula ou à igreja;
  • Comunhão vem do grego, cuja palavra original é Koinonia (): o ideal de vida cristã que deve ser experimentado por todas as famílias, todas as células, toda a igreja;
  • Uma atmosfera de comunhão deve permear a vida do grupo continuamente, mesmo nos momentos em que as pessoas não estão juntas fisicamente;
  • A verdadeira unidade é tão preciosa que deve ser vivenciada sete dias por semana, vinte quatro horas por dia, o mês inteiro, o ano inteiro;
  • A célula verdadeira não faz fofoca quando alguém expõe um problema: eles oram e amam uns aos outros;
  • A comunhão verdadeira na célula evita que ela se torne uma “panelinha”, mas seja um lugar de amor e carinho, como na igreja de Jerusalém, onde “…todos os que criam estavam juntos, e tinham tudo em comum” (Atos 2.44)

 

MANEIRAS DE FORTALECER A COMUNHÃO NA CÉLULA 

  • Pela realização de atividades de lazer e recreação juntos, como ir à praia, jogar bola, ir ao cinema, fazer caminhadas e passeios ecológicos, etc.;
  • Pelo estímulo do crescimento espiritual uns dos outros, encorajando-os a vivenciar as atmosferas de amor, alegria e fé; 
  • Pelo evangelismo de qualidade juntos, onde podem compartilhar a alegria de ganhar novas pessoas para Jesus e cuidar delas juntos;
  • Pelo confronto amoroso e sincero, quando há atritos e desavenças entre os membros, de maneira que o amor é reavivado e a confiança restaurada. 

 

Quarta Função

TREINAMENTO DE LÍDERES

  • Uma igreja baseada em células sempre produz muitos líderes de qualidade, e essa reprodução acontece no contexto da célula;
  • Para alguém se tornar perito em qualquer coisa que fizer na vida, ele terá que aprender aquilo pela prática, não somente pela teoria;
  • Nenhum líder é perfeito, por isso por isso não podemos colocar expectativas tão altas que ninguém preencha os requisitos, mas devemos procurar líderes que sejam fiéis, disponíveis e ensináveis;
  • Um pedreiro não aprende a construir belas casas apenas fazendo um curso numa sala de aula: ao contrário, ele anda com pedreiros, trabalha como ajudante de pedreiro e logo já começa a erguer suas próprias paredes;
  • Semelhante ao treinamento do pedreiro, o campo de estágio onde os líderes de célula são treinados é o contexto da própria célula – que será enriquecido com a oferta de cursos e treinamentos diversos;
  • Esta Igreja tem um gráfico bem definido chamado Trilho de Liderança, onde estão bem delineados todos os passos que alguém percorre, desde o momento em que se converte, até tornar-se um líder;
  • Temos uma grande riqueza de acompanhamento, tanto no discipulado como na sala de aula, a fim de preparar as pessoas para serem cristãos fortes e habilitados para toda boa obra;
  • Uma das principais armas para o treinamento eficaz de líderes de células bem sucedidos é a frequência e assídua ao Treinamento Avançado de Líderes – TADEL, às terças e domingos;
  • Muito mais sobre o Treinamento de líderes da Igreja da Glória pode ser encontrado nos cursos da Escola Ministerial Glória – EMG e nos treinamentos contínuos do TADEL;
  • O líder de célula deve mobilizar todos os seus membros a frequentarem o TADEL e o Curso de Fundamentos (Nova Criatura +

Curso de Membresia + Família Cristã + Ide e fazei Discípulos);

  • Outra exigência bem destacada para liderar uma célula é ter feito este curso que ora ministramos: Treinamento de Líderes de Células – TLC.

 

Quinta Função

CRESCIMENTO E MULTIPLICAÇÃO 

O PRINCÍPIO DA MULTIPLICAÇÃO 

  • Multiplicação é uma das leis fundamentais do universo: galáxias, animais, plantas, tudo se multiplica;
  • O primeiro mandamento de Deus ao homem, no Éden, foi para crescer e multiplicar-se (Gênesis 1.28);
  • Há custos envolvidos na multiplicação: mais trabalho, mais problemas, porém mais frutos, mais retorno, mais alegria.

 

ILUSTRAÇÕES BÍBLICAS DE MULTIPLICAÇÃO

 

  • Jacó teve 12 filhos. A Bíblia diz que eles se multiplicaram e encheram a terra do Egito: “Mas os filhos de Israel foram fecundos, e aumentaram muito, e se multiplicaram, e grandemente se fortaleceram, de maneira que a terra se encheu deles” (Êxodo 1.7);
  • Jesus escolheu 12 discípulos. Hoje, todos nós cristãos somos resultado da multiplicação desses homens;
  • Jesus transformou a água em vinho numa casa, num casamento – significando alegria, presença do Espírito Santo, provisão divina (João2.1-11);
  • Jesus multiplicou pães e peixes, e Seus discípulos os distribuíram para o povo, significando a nossa participação – junto com Ele – na alimentação das multidões famintas (João 6.1-15);
  • A visão e o método de Deus no Novo Testamento para realizar o trabalho é a multiplicação;
  • Discipulado não é a visão e o ministério de qualquer igreja ou organização em particular; discipulado é a visão e o ministério de Deus.

 

CONSIDERAÇÕES SOBRE A MULTIPLICAÇÃO

 

  • As células não se dividem, elas se multiplicam em unidades “gêmeas” com as mesmas características, mesmo código genético;
  • As células eclesiásticas funcionam como as autênticas células do corpo humano, onde a vida da igreja local se encontra sintetizada em todos os seus variados aspectos como adoração, intercessão,evangelismo, crescimento espiritual, assistência social, etc.;
  • Para garantir a qualidade da célula, ela não deve ficar muito grande, para que haja sempre uma atmosfera de família, de intimidade, de compartilhamento;
  • As células crescem até o ponto de saturação, quando elas necessariamente se multiplicam, e assim surgem novas estruturas orgânicas, as células “filhas” e “netas”, que por sua vez se tornarão “mães” e “avós”, indefinidamente;
  • As células de multiplicam em intimidade com Deus, levando todos a serem íntimos com Jesus, de uma forma cada vez mais crescente, e reproduzindo essa fome de Deus na vida dos discípulos;
  • As células se multiplicam em comunhão, levando todos a crescerem na expressão horizontal da unidade do Corpo de Cristo, e reproduzindo isto na vida de mais e mais cristãos;
  • As células se multiplicam em novos membros para o grupo, crescendo e multiplicando o número de discípulos, e reproduzindo este alvo para que haja mais “discípulos fazedores de discípulos”.

 

QUALIDADE É A CHAVE PARA A MULTIPLICAÇÃO

 

  • O treinamento de líderes deve ser contínuo e profundo, preparando outros para reproduzir aquilo que nós fazemos;
  • Se não multiplicarmos espiritualidade, estaremos perdendo metade dos nossos resultados;
  • Em todo o contexto do Novo Testamento vemos o discipulado centrado no indivíduo, não em programas;
  • O discipulado não é uma reunião, um evento, mas um processo artesanal, individualizado: reunião um a um;
  • Discipular não é um dom dado apenas para alguns escolhidos; é para todos os seguidores obedientes de Jesus;
  • Todo crente deve fazer a si mesmo duas perguntas: “Quem é meu Paulo?” e “Quem são meus Timóteos?”

 

A IMPORTÂNCIA DO ESTABELECIMENTO DE ALVOS PARA A MULTIPLICAÇÃO DA CÉLULA 

Alvos não são sonhos mirabolantes, calcados numa fé otimista-humana  sem base na Palavra de Deus. Alvos são possibilidades reais de conquistas

ainda não acontecidas, traçando um mapa ousado e seguro de como chegar lá. 

  • Alguém já disse que se você estiver mirando em nada, certamente acertará em cheio!
  • Toda célula precisa ter uma data pré-definida na qual ela se multiplicará. O momento para a definição desta data não é quando a célula cresce e se torna madura, mas desde o início;
  • Líderes que conhecem o seu alvo multiplicam de uma forma regular e com maior frequência do que os que não conhecem;
  • Fixar a data de multiplicação nos estágios iniciais da célula ajudará a combater o isolacionismo: quando a célula não quer se multiplicar nem receber pessoas novas, ficando somente “nós e nós mesmos, unidos, nos amando até Jesus voltar!”
  • Mesmo a célula sendo boa, mas se o líder falhar na fixação de alvos (que sejam facilmente lembrados pelos membros) ele tem 50% de probabilidade de multiplicar a sua célula; 
  • Fixar alvos e datas aumenta a probabilidade de multiplicação de uma boa célula para 75%. Existem células extraordinárias onde essa probabilidade ultrapassa os 100%;
  • Cada supervisor deve checar se o líder está lançando os alvos com clareza e se os membros estão compreendendo. Todos precisam saber “na ponta da língua e no coração” a data da multiplicação da célula; 
  • A data da multiplicação deve estar claramente escrita no cartaz ou banner que a célula usa como identidade informativa visual; 
  • Além da data de multiplicação, a célula deve ter outros alvos bem claros:
  • Todo mundo tendo um discipulador até tal período;
  • Alvos de levantar determinadas cotas de alimentos para a Marcha do Amor;
  • Alvos de ter uma reunião de oração regular da célula;
  • Alvos de ganhar tantas pessoas para Jesus em tanto tempo;
  • Alvos de mandar um número de pessoas para o Encontro com Deus;
  • Alvos de ter tantos membros fazendo as classes da Escola Ministerial Glória – EMG, como preparação para liderar novas células;

Alvos de ver todos os membros da célula bem empregados, cuidando dignamente do sustento de suas famílias, etc.

share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

WhatsApp Br