TREINAMENTO DE LÍDERES DE CÉLULAS LIÇÃO 2 TLC

Lição 2
ELEMENTOS DO CÓDIGO GENÉTICO DA CÉLULA

O que é o código genético

De forma simples, podemos dizer que genoma é o código genético do ser humano, ou seja, o conjunto dos genes humanos. No material genético podemos obter todas as informações para o desenvolvimento e funcionamento do organismo do ser humano. Este código genético está presente em cada uma das células humanas.

O código genético ou genoma é de certa forma, a chave para todos os segredos e funcionamento da vida biológica, cuja unidade básica é a célula. A célula é constituída de moléculas, de macromoléculas que funcionam como unidades estruturais, reservatórios de energia, repositórios de informações genéticas e como moléculas especiais para controlar os processos que mantém a célula viva.

Proteínas (que estão na base do DNA) formam o principal constituinte dos organismos vivos. Suas principais funções são:

  • Controlar o metabolismo e liberar energia (enzimas);
  • Defender o organismo de corpos estranhos (anticorpos);
  • Definir e manter a arquitetura da célula (elementos estruturais);  Carregar moléculas ou íons dentro da célula (mecanismo de transporte);
  • Coordenar e dirigir os processos químicos da célula (reguladores metabólicos).

 

Em outras palavras, são as células que cuidam da alimentação,  das defesas, do equilíbrio da preservação e  da reprodução de todo o corpo!

Utilizando as pesquisas genéticas e exames especializados, já é possível detectar se um embrião herdou doenças graves, possibilitando um tratamento adequado desde os primeiros dias de vida. Este procedimento reduz o impacto da doença sobre o organismo, assim como suas sequelas. Futuramente, quando forem descobertas as funções de todos os genes humanos, muitos outros benefícios virão.

Semelhante à Biologia Molecular nós podemos, pela avaliação das células e do discipulado, determinar e garantir a saúde e o equilíbrio de todo o corpo # de toda a igreja.

Primeiro Elemento

Um bom líder

 

A liderança, tanto na célula como na igreja, tem uma importância fundamental.  Sem uma boa liderança uma célula sempre vai sofrer e estar enferma. Um bom líder ajuda o grupo a clarear seu propósito e a alcançá-lo.

 

A AUSÊNCIA DE LIDERANÇA PARA AS CÉLULAS EM MUITAS IGREJAS TÊM ALGUMAS RAZÕES IDENTIFICADAS: 

  • Problemas de passividade na igreja, por falta de uma compreensão clara da Grande Comissão de Cristo e da missão da igreja sobre a Terra;
  • Más experiências anteriores, onde a pessoa foi “queimada” na tentativa de ajudar e ser útil;
  • Outros compromissos e interesses que não a obra de Deus;
  • Falta de oportunidades para desenvolver seus dons e habilidades;
  • Falta de sabedoria e tato naqueles que lhes pediram algo ou tentaram lhes delegar responsabilidades;
  • Falta de discipulado e cuidado pastoral adequados;
  • Falta de capacitação adequada;
  • Abandono daqueles que estão no processo de crescer e ser úteis.

 

O QUE JESUS E ESTA IGREJA OFERECEM PARA ALGUÉM QUE DESEJA TORNAR-SE LÍDER DE CÉLULAS A SERVIÇO DO REINO?

  • Estabilidade ministerial e cuidado individualizado;
  • Oportunidade de crescer e trabalhar junto com outro, num clima de parceria e cooperação;
  • Confirmação de seu chamado e vocação no serviço de Deus;
  • Capacitação e treinamento constantes para o desempenho de sua tarefa;
  • Apoio constante, através do discipulado e valorização do seu potencial;
  • Compromisso com o seu trabalho, desejando acima de tudo que os projetos de Deus para a sua vida sejam cumpridos plenamente.

 

ATITUDES ERRADAS DIANTE DA POSSIBILIDADE DE LIDERAR UMA CÉLULA:

  • “Não sou capacitado para liderar”: Devemos conhecer e utilizar os dons espirituais que Deus nos deu. Quando Deus já nos capacitou, Ele não aceita desculpas.
  • “No estou disposto a liderar”: Se Deus nos deu os dons necessários, não liderar se torna uma desobediência aberta a Deus.
  • “Não estou seguro se posso fazê-lo”: Deus só nos pede que estejamos dispostos e que nos preparemos para fazê-lo debaixo do Seu poder. O resto é com Ele!
  • “Meu dom é outro, não esse”. Liderar pelo menos uma célula e discipular pessoas não são dons ou chamado específico, mas um mandamento a ser obedecido por cada cristão. A Grande Comissão inclui fazer discípulos, batizar e ensinar, e o ambiente mais propício para estas coisas é a célula.

 

O LÍDER COMO SERVO

  • Cuidar de uma célula requer bastante trabalho, mas ao mesmo tempo é um privilégio muito grande e traz recompensas infinitas.
  • Tenha bem presente em sua mente em seu coração que você não está trabalhando para homens, mas para o Senhor.
  • Não busque recompensa e reconhecimento dos homens – apesar de que isso pode e deve acontecer – mas de Deus, que sabe exatamente como satisfazer o nosso coração.
  • As bênçãos do Senhor são um resultado do nosso trabalho, não um preço ou uma condição para que façamos algo para Deus.
  • O sucesso de uma célula muitas vezes depende mais do que acontece durante a semana, entre uma reunião e outra, do que daquilo que acontece durante a reunião propriamente dita.
  • Os discípulos de Jesus de vez em quando disputavam entre si para ver quem era o maior, o mais importante, e quem ocuparia as posições de destaque ao Seu lado no Seu governo soberano (terreno, na mente deles).
  • Na noite em que Jesus foi traído, pouco antes da Última Ceia, Ele deulhes a última lição: colocou-Se na posição de serviçal e lavou-lhes os pés (João 13.1-17).
  • As pessoas só vão nos respeitar como líderes quando perceberem que estamos dispostos a servir-lhes de todo o coração – lavando os seus pés.

 

O BOM LÍDER BUSCA SATISFAZER AS NECESSIDADES DOS MEMBROS

  • O bom líder prepara sua célula para visitar as pessoas que estão no hospital;
  • Proporciona comida (cestas básicas) em tempos de crise ou enfermidade;
  • Providencia todo tipo de ajuda na necessidade, com a ajuda dos irmãos da célula e da Assistência Social da igreja;
  • Não empresta dinheiro: Se for possível dar, dê, mas nunca empreste (este assunto você verá depois, com mais detalhes).

 

O LÍDER COMO PASTOR DA CÉLULA

O líder de célula é um pastor, pois pastorear envolve 5 princípios fundamentais:

 

  • Cuidar das ovelhas (Atos 20.28-29): O líder visita, aconselha e ora pelo rebanho doente, é responsável por cuidar da célula, como um pastor cuida do seu rebanho.
  • Conhecer as ovelhas (João 10.14-15): O líder procura conhecer cada pessoa que entra no grupo. Promove encontros privados para conhecer melhor a pessoa e fazer descobertas especiais acerca dela.
  • Procurar as ovelhas (Lucas 15.4): vai atrás da ovelha que deixou de frequentar a célula.
  • Alimentar as ovelhas (Salmo 23.1-3): O encontro da célula não é um estudo bíblico, mas a palavra de Deus sempre tem um lugar central. As reuniões são baseadas nas pregações do pastor que é feita nos finais de semana.
  • Proteger as ovelhas (João 10.10; Efésios 6.12; I Pedro 5.8-9): Na igreja em células, cada 10 membros em média estão sob os cuidados e orientação de um líder (pastor da célula) e um auxiliar, que são responsáveis pela proteção do seu rebanho (Atos 20.28-31). Pessoas problemáticas são comuns em grupos pequenos e o líder da célula precisa ser diligente, cuidando para que o comportamento delas não afete negativamente o seu rebanho.

 

REQUISITOS DO LÍDER DE CÉLULA

  • Vida Espiritual exemplar: Anda em amor e santidade – fiel no seu TSD (Tempo Sozinho com Deus) – submisso a todos os seus líderes – atitude ensinável – uma pessoa quebrantada – tem uma vida de oração consistente (I Tessalonicenses 4.17; Efésios 6.18).
  • Vida Familiar Sólida: Anda em amor no seu lar; está ganhando toda sua família para Jesus. Se casado, governa bem sua família (Efésios 5.33-6:4; I Timóteo 3.4). Se solteiro/a, tem uma vida santa e exemplar (I Tessalonicenses 4.3-7).
  • Discípulo: É um seguidor obediente de Jesus, está sendo discipulado e por sua vez discipula outros (Lucas 6.40; Mateus 28.19-20).
  • Frequência Fiel aos Cultos de Celebração e ao TADEL: Os auxiliares e irmãos da célula devem ver no seu líder o maior exemplo de frequência aos cultos, inclusive levando visitantes, e sendo exemplo de pontualidade e serviço: ajudando como conselheiro, na hora do apelo.
  • Conduta Clara: Para não servir de tropeço aos outros (I Coríntios10.31-33).
  • Cheio do Espírito Santo: Os frutos do Espírito Santo aparecem em sua vida, não somente os dons (Gálatas 5.22-23).
  • Bom Administrador: Dizimista, usa bem o seu tempo, dons, capacidades, bens, corpo, descanso, etc.
  • Testemunha: Dá testemunho de sua fé de uma maneira clara (Atos1.8).
  • Coração e Atitude de Pastor: Cuida e ama as pessoas (Gálatas 6.2; Romanos 12.9-16).
  • Cumprir com os requisitos do Trilho de Liderança: Isso inclui levar os seus discípulos e auxiliares da célula a fazer o mesmo, pois assim estará gerando novos líderes.
  • Participar dos treinamentos para líderes de célula: Inclui, dentre outras coisas:
  • Fazer o Curso de Fundamentos; (Discipulado I)
  • Participação permanente no TADEL; (Geralmente as Terças-Feiras)
  • Ter feito o Encontro com Deus;
  • Participar do Treinamento de Discipuladores: Ide e Fazei discípulos (Fundamentos);
  • Fazer o Treinamento de Líderes de Células – TLC (este curso atual);
  • Continuar na Escola Ministerial Glória – EMG até concluir pelo menos o CTL;
  • Ser Aprovado pela Liderança: Pelo seu discipulador, pelos seus supervisores e pastor de distrito, região ou rede (Atos 13.1-3).

  

RESPONSABILIDADES DO LÍDER DE CÉLULA

  • Orar diariamente pelos membros de sua célula;
  • Garantir que cada membro da célula está sendo bem discipulado – de preferência por alguém de dentro da própria célula;
  • Pastorear os membros da célula e ajudá-los a viver uma vida cristã vitoriosa;
  • Garantir que cada semana o relatório da célula (no envelope das ofertas) seja fielmente preenchido e entregue à liderança;
  • Cuidar da parte do ensino da Palavra de Deus na reunião de célula;
  • Guiar e motivar os membros de sua célula a envolver-se na vida da célula de todas as formas possíveis (participando, opinando, trazendo pessoas novas, etc.);
  • Conduzir cada membro de célula a traçar sua estratégia pessoal para alcançar pessoas para Cristo;
  • Garantir um clima de companheirismo, alegria e comunhão entre os membros;
  • Distribuir tarefas e responsabilidades entre os membros, e formar novos líderes, treinando-os de acordo com os mesmos valores e princípios;
  • Preparar a multiplicação, de maneira que uma nova célula seja gerada de forma natural e saudável.

 

O LÍDER DE CÉLULA TEM SOB SEUS CUIDADOS O QUE A IGREJA TEM DE MAIS VALIOSO: 

AS PESSOAS

Segundo Elemento

UM BOM LOCAL          

QUANTO AO ASPECTO FÍSICO DO LOCAL

  • O local de reuniões normalmente é uma casa, o lar de irmãos da igreja. Um ambiente institucional pode não ser muito propício para uma boa comunhão, a não ser que tenha aquela atmosfera agradável de casa.
  • Salas de conferências ou escritórios de reuniões podem ser usados com sucesso, mas devemos ter em mente que pessoas de negócios essas salas com a realização de negócios, não com relacionamentos profundos.
  • As casas, por outro lado, são associadas com famílias e amigos, e os lares são o ambiente mais apropriado para a comunhão depois da reunião.
  • Evite fazer a reunião em locais de comércio, de muita circulação de pessoas passando pelo local.
  • O local deve ter uma boa iluminação, nem fraca nem excessiva.

 

QUANTO À DISTRIBUIÇÃO DOS ASSENTOS

  • Se a casa for muito grande e tiver uma grande mesa, e o grupo não for muito grande (entre 6 e 12 pessoas), pense na possibilidade de fazer a reunião ao redor de uma mesa. Este tipo de reunião produz o máximo de concentração, além de apoio para as Bíblias e outros materiais que a pessoa queira usar, até mesmo para escrever.
  • Caso prefiram o método das mesas, pode ser necessário conseguir ou construir uma mesa grande, ou juntar várias mesas antes da reunião.
  • A reunião pode ser feita com as pessoas sentando em sofás e poltronas. O ideal é que eles não fiquem muito longe uns dos outros, nem num formato muito quadrado ou irregular.
  • Evite cadeiras de balanços ou espreguiçadeiras, pois elas podem produzir muito ruído ou fazer com que as pessoas durmam.
  • As pessoas precisam estar olhando uma para as outras. O formato de igrejinha, com as pessoas olhando umas para a nuca das outras, não é recomendado.

Use as cadeiras ou bancos em forma de círculo, quando o ambiente permite. Isto permite que todos possam se olhar de frente.

  • Evite cadeiras desconfortáveis, com as pernas moles, quebradas ou rangendo. Evite também colocar pessoas “bem nutridas” em cadeiras plásticas de capacidade duvidosa.

 

QUANTO AO FUNCIONAMENTO FÍSICO DA REUNIÃO

 

  • A célula ficar muito grande não é um terrível problema, pois ela logo vai se multiplicar, mas evite, a todo custo, que ela se pareça com mais um culto de celebração ou uma reunião de sócios de um clube.
  • Dentro das possibilidades, o lugar das reuniões deve ser bem arejado, com uma temperatura agradável e circulação de ar. Muito calor deixa as pessoas tontas e sonolentas. Se possível, use ventiladores discretos, pouco barulhentos.
  • Anfitriões e auxiliares da célula devem limpar bem o chão, varrendo, passando o pano ou aspirando, se for o caso.
  • Guardem os papéis, sapatos, copos, xícaras, livros e brinquedos que às vezes se acumulam pela sala ou área de entrada.
  • Antes da chegada das pessoas, coloque os sofás e cadeiras em forma de círculo. Se necessário, traga as cadeiras da sala de jantar, para que haja suficientes assentos para todo mundo.
  • Deixe o círculo largo o bastante para que ninguém se sente fora dele. Caso algumas pessoas faltem, vocês podem estreitar o círculo depois.
  • É importante, se possível, ter uma mesinha pequena (ou outro móvel parecido) no centro ou ao lado do círculo, tipo mesinha de café.
  • Desde o início da reunião, já tenha um pacote de guardanapos de papel na mesinha, pois normalmente algumas pessoas precisam, para chorar ou tossir, ou os dois.
  • O banheiro deve estar limpo, com papel higiênico, toalha e sabonete para as mãos bem à vista.
  • Desligue ou desconecte as extensões de telefone que ficarem no local onde será a reunião, assim como mantenha seu próprio telefone celular no modo silencioso ou desligado.
  • Dependendo do caso e idade dos membros, mantenha uma jarra com água ao lado do círculo desde o início. Se todos gostarem, tenha café e copinhos à disposição também.

O anfitrião ou o líder não precisam providenciar o lanche toda semana; peçam aos outros membros para trazer o lanche, observando uma escala de rodízio entre os membros que podem fazê-lo.

 

Terceiro Elemento

UMA BOA ATMOSFERA

 

  • Todas as reuniões e atividades da célula, seja a reunião no lar ou qualquer comunhão fora, deve se constitui numa atmosfera de alegria, de fé, de amor e carinho, de intimidade e de comunhão.
  • A atmosfera de alegria vai contagiar todos os presentes e os novos, pelo clima de descontração e presença de Deus, produzindo encorajamento e bem-estar.
  • A atmosfera de fé atrai o sobrenatural, move a mão de Deus em favor da célula; gera-se uma expectativa de milagres, de cura, de manifestação de Deus, a ponto da vizinhança inteira ser afetada pela presença de Deus na vida daquela célula.
  • A atmosfera de amor vai unir cada vez mais os membros da célula, aponto desse amor transbordar para os de fora, que saberão que somos verdadeiramente discípulos de Jesus, e vão querer sê-lo também.
  • A boa atmosfera da célula deve ser claramente perceptível pelos dos de fora, de maneira que possam ser atraídos para Deus, mas para nós também.
  • Membros e visitantes devem senti-se em casa. Essa atmosfera deve ser gerada pela fé, em oração, mas deve ser expressa por obras de atenção, cuidado, serviço e amor. 
  • Os moradores da casa, anfitriões, devem ser bons acolhedores, amigáveis, ter bom relacionamento com a vizinhança, e ser os primeiros a dar as boas vindas aos visitantes, deixando-os bem à vontade. 
  • Evitem distrações como televisão ou rádio ligados, pessoas transitando pelo meio da reunião ou eventos paralelos na casa.
  • É recomendável ter uma garrafa de café e copinhos à disposição antes do início da reunião. O café age como estimulante e para pessoas que tiveram um dia puxado de trabalho, ele servirá para mantêlas acordadas e atentas.

Antes que qualquer pessoa chegue, o líder e o anfitrião devem separar uns cinco minutos para eles mesmos, sentar-se no círculo e orar pela reunião, para que a bênção de Deus venha sobre todos.

 

De novo, cheque a atmosfera física e espiritual de sua casa. Veja se não está muito calor, se é preciso abrir ou fechar janelas, ligar ventilador, coisas desse tipo. A iluminação deve ser adequada.

  • Gatos, cachorros e outros animais domésticos devem ser postos em outro cômodo da casa durante a reunião. Alguém pode ter medo, não gostar de animais, ter alergia ou qualquer outro sentimento, e por mais que amemos nossos bichinhos, Jesus ama muito mais as pessoas, e nós devemos seguir os Seus passos. Todos os membros da casa devem cooperar com a reunião!
  • Se possível, que a reunião seja num lugar que dê para a socialização depois da reunião. Algumas células precisam mudar de lugar para lanchar, o que não é um problema em si, desde que seja nas dependências da mesma residência.
  • Não é bom quando a comunhão precisa ser fora, num restaurante, lanchonete ou na casa de um vizinho. Você pode perder pessoas nessa transferência, e normalmente aqueles que se afastam nesses momentos são os que estão dando mais trabalho para ganhar e manter.

 

Quarto Elemento

LOUVOR E ADORAÇÃO UNGIDOS

DEFINIÇÃO DE LOUVOR

  • Louvor é algo que expressamos em direção a Deus. Louvor é algo que expressamos aos outros sobre Deus;
  • Louvor normalmente é expresso vocalmente e espiritualmente;
  • Louvor sempre se relaciona com Deus e com o que Ele tem feito;
  • Louvor é aclamação  acompanhada de cânticos, gritos  e proclamação,danças, clamor, sons de instrumentos musicais e outras formas;
  • Louvor é Honrar;
  • Louvor é também um instrumento para batalha espiritual ( II Crônicas20-28).

 

DEFINIÇÃO DE ADORAÇÃO 

  • Adoração significa reconhecer ou valorizar, ou  dar crédito a  quem merece. Ex. Reconhecer que Ele é merecedor;
  • Adoração é dada a Deus…de todo nosso ser;
  • Adoração é uma expressão de amor  do coração, adoração e louvor a Deus são uma atitude de reconhecimento de Sua supremacia e de Seu senhorio;
  • Adoração é a habilidade de se   expressar a Deus  com todo nosso ser– corpo, alma e espírito;
  • O coração em Adoração é uma depuração de nosso ser, desprovida de vergonha, colocando-nos diante do Senhor em profunda devoção;
  • Adoração é “ amor extravagante”; é comunhão com Deus, que apenas pode ser experimentada pelos Seus filhos queridos;
  • Adoração normalmente é, comunhão envolvente e partilha.

 

EFEITOS DO PERÍODO DE LOUVOR

  • Levar as pessoas para próximo de Deus. As pessoas devem estar liberadas para louvar e expressar o que está em seu coração ao Senhor;
  • O Período de Louvor ajuda a criar um ambiente para a unção do Espírito Santo e para a manifestação dos dons (2 Rs 3:15);
  • Prover uma base para a ministração da Palavra;
  • Ajuda a elevar o impulso espiritual das pessoas para que se possa obter uma meta espiritual.

 

COMO PREPARAR O TEMPO DE LOUVOR?

  • Canções que possam ser entoadas ao Espírito Santo e que lhe tocaram durante a semana. 
  • Organize, escolha as músicas de acordo com a ocasião:
  • Por ordem:  Louvor – altos louvores – saudação – adoração – apelo – cura – ofertas;
  • Tema: Celebração?  batalha?  Intercessão?  Evangelístico?  Cura interior?  Unidade? 
  • Foco: A quem você está cantando?  Em direção aos homens ou a Deus? Cuidado com a “progressão negativa” – quando você canta uma música de vitória e depois uma de tristeza ou derrota.

 

Tempo: Planejem de antemão, entre líder da célula e ministrante do louvor, a quantidade de tempo que será usado, a menos que o Espírito Santo realmente “tome conta” do tempo e a unção role solta.

 

  • Não devem ser músicas muito longas e de difícil compreensão, como aquelas feitas para adoradores maduros e experientes.
  • Como a maioria das células não tem tocadores nem cantores experientes, use músicas de CD para os irmãos acompanhem.
  • Mesmo que haja músicos e cantores experientes na célula, preferimos os CDs, pois a lógica da sabedoria aqui é não fazer na célula-mãe aquilo que eles não vão poder reproduzir nas células-filhas.
  • A pessoa que vai cuidar do louvor deve se preparar antes, orar, buscar direção de Deus, e ficar afinado com a seqüência das músicas no CD, para não ficar procurando na frente dos irmãos, ou tocando um pedaço da música errada e tendo que trocar ou procurar rapidamente a música certa. Isso dá uma impressão de desorganização.

 

ADORAÇÃO COM “SABEDORIA” 

  • O ministrador deve escolher as canções com antecedência e providenciar cópias para os demais presentes;
  • Leve em conta o conhecimento que os membros já têm das músicas; 
  • Não gaste muito tempo falando, nem introduza toda canção que você canta;
  • Não pregue – você pode levar a distração; 
  • Só fale se… as essoas não estiverem à vontade e se for necessário dar explicação para novatos ou estranhos; 
  • Conheça as canções que vão ser cantadas e nunca use canções se você não está familiarizado com elas – saiba bem a melodia e a letra da música;
  • Se as pessoas não estão cantando, dê uma parada e ensine novamente; 
  • Procure conhecer bem as pessoas do grupo e descubra quais as suas canções preferidas, e supreenda-os cantando suas canções prediletas; Cante várias vezes se for necessário (leva tempo para as palavras descerem da cabeça para o coração!);
  • Você não tem que cantar somente as músicas  que você planejou: de repente, na hora, o Espírito Santo te leva a cantar uma música diferente… Amém!; 
  • Mantenha um fluxo contínuo. Não pare depois de cada canção, mas mantenha a música que flui entre canções e enquanto compartilha;
  • Se estiver esperando por uma palavra profética, espere no máximo 15 a 20 segundos… caso contrário, as pessoas vagarão.

 

OPERAÇÃO DE DONS ESPIRITUAIS DURANTE A ADORAÇÃO

  • Uma Palavra  ou profecia pode ser manifesta durante o tempo de adoração;
  • Escolha um momento e baixe a música, ponha um música somente instrumental ou desligue-a totalmente;
  • Quando o tempo chegar, faça a música tocar suavemente, e então encoraje as pessoas da célula dizendo: “Enquanto adoramos o Senhor, Ele vem e está conosco, falando aos nossos corações. Se um de vocês tem uma palavra do Senhor, compartilhe isto conosco para que possamos todos ouvir e sermos edificados”;
  • Permita que que até 3 a 4 pessoas compartilhem. Num  momento qualquer, quando não houver mais Palavra ou profecia, o líder de adoração deve assumir. Ele também pode resumir a palavra lançada;
  • Não force profecia ou palavra… você pode se equivocar e levar a reunião para baixo.

 

COMO ENCORAJAR CÂNTICOS ESPIRITUAIS DURANTE TEMPO DE ADORAÇÃO?

  • Explique à célula o que é e o por que nós cantamos um cântico novo ou uma canção no espírito;
  • Mostre a eles o que a Bíblia fala sobre isto (Salmo 33.3, 40.3, 96.1);
  • Explique que é uma resposta espontânea a Deus em adoração; nós não cantamos letras de canções escritas ou de melodias já conhecidas, mas do coração. Nós também podemos cantar em línguas ;

Isso exercitará nosso ser espiritual para adorar Deus no Espírito. Encoraje que os participantes exercitem isto na próxima oportunidade ou em suas devocionais pessoais com Deus;

Para encorajar a participação, sejam o Líder de Adoração e o Líder da célula os exemplos. Sejam os primeiros a começar uma canção nova ou uma canção no espírito de forma mais proeminente, ou seja, cante mais alto.

 

Quinto Elemento

REVELAÇÃO NA PALAVRA

 

POR QUE O COMPARTILHAMENTO DA PALAVRA NA CÉLULA?

  • Porque ele permite que Deus fale conosco através da Sua Palavra escrita;
  • Porque leva os membros e visitantes à obediência à Palavra de Deus;
  • Porque nos leva a uma atitude de responsabilidade e transparência;
  • Porque acelera o aprendizado, que é o processo eficaz para mudança de valores.

 

DUPLO PROPÓSITO DO COMPARTILHAMENTO DA PALAVRA 

  • Permitir que Deus nos fale para através de textos e exemplos – através do compartilhamento da mensagem;
  • Permitir que o sistema de valores dos membros sejam mudados – através da discussão das perguntas.

 

REVELAÇÃO PARA A MINISTRAÇÃO DA PALAVRA 

  • A igreja pode fornecer um estudo bem elaborado, dinâmicas criativas, perguntas bem feitas, mas o rhema do alto só vem através do instrumento humano que é o facilitador da mensagem;
  • A pessoa que vai facilitar o estudo deve se preparar bem, organizar o material, revisá-lo e ter o estudo bem fixo na sua mente no seu coração;
  • O preparo maior é a oração e a dependência do Espírito Santo;

É bom usar dinâmicas apropriadas; podem ser as fornecidas no estudo, ou algumas que o facilitador possa ter, e que se apliquem bem ao assunto;

  • A pessoa que vai facilitar a mensagem deve ter estado na igreja no domingo anterior, deve ter ouvido a mensagem e absolvido-a bem, pois quase sempre ela será o tema do estudo na célula;
  • A mensagem da célula não é uma pregação, mas uma reflexão interativa, com a participação de todos, num clima descontraído e espiritual; 
  • Você é um facilitador – não um preletor que quer mostrar eloquência e conhecimentos;
  • Discuta a passagem bíblica – Não apenas o Sermão do Pastor;
  • Todos devem ter a chance de compartilhar, mas não precisam ser coagidos a isso: não direcione a pergunta diretamente para a pessoa, principalmente os novos;
  • Use perguntas abertas, inteligentes e definidas;
  • Dê a todos a chance de falar, mas tenha o controle da conversa, da discussão;
  • Responda a perguntas com novas perguntas, se isso puder trazer mais clareza;
  • Líderes não são enciclopédias, e não precisam ter todas as respostas;
  • Finalize sempre com uma ministração (oração) pelas pessoas presentes;
  • Lembre-se de fazer aplicações para a realidade prática e orar;
  • O estudo não deve ser longo: deve ter entre 20 e 30 minutos. 25 é ótimo.

 

PREPARO DA APRESENTAÇÃO 

  • Aprenda a preparar sua exposição o mais breve possível;
  • Tente olhar o mínimo possível para a folha ou para as suas anotações; v Você deve decorar, saber os pontos-chave da folha e da mensagem.

 

REVELAÇÃO PARA INICIAR A REUNIÃO 

  • Nunca inicie uma reunião com uma declaração negativa: desculpas, dúvidas ou confusão;
  • Sempre crie uma atmosfera de expectativa, de antecipação de coisas boas;
  • Fale sobre Deus e não sobre o ego – sobre você mesmo;
  • Fale do poder de Deus presente para operar sinais, maravilhas e milagres;
  • Fale de vitória para o momento presente e não de derrota; v Inicie com uma frase positiva de fé que lide com o agora.

 

REVELAÇÃO NA PALAVRA NA HORA DA MINISTRAÇÃO 

  • Nem toda pregação necessariamente ministra e nem toda ministração é necessariamente pregação;
  • Ministração é mais do que simplesmente falar, é permitir que o poder de Deus toque e mude as vidas das pessoas;
  • A Ministração da Palavra é tão importante quanto a pregação, você deve sempre permitir que as pessoas sejam ministradas;
  • Sinais, maravilhas e milagres são os ingredientes básicos da ministração;
  • Quando impuser as mãos ou simplesmente orar pelas pessoas, você deve estar consciente de que você está mergulhando em direção à unção;
  • Permita que a unção flua através de você para mudar vidas;
  • Envolva a todos durante a ministração… não monopolize o momento.

 

Sexto Elemento

VISÃO E PRÁTICA DO PURÊ DE BATATAS 

  • Este tema está largamente estudado no livro “O Purê de Batatas”, lançado pela MDA Publicações (Editora Premius) – Se você ainda não o tem, assista aqui agora!;
  • A Visão do Purê de Batatas trata essencialmente de um estudo aprofundado de João capítulo 17: A Oração Sacerdotal de Jesus;
  • A comparação ilustrativa é a de um purê, onde as batatas são cozidas, descascadas, amassadas, misturadas com sal, gordura e leite, e transformadas numa deliciosa massa cremosa e homogênea;
  • A oração de Jesus nos mostra como um bom pastor ou líder de célula deve orar;
  • Jesus ora por proteção e santificação, mas a Sua maior insistência é pela unidade, comunhão entre os discípulos;
  • A prática do purê de batatas enfatiza repetidamente a necessidade de toda a célula – e a igreja – serem um, para que isto sirva como um forte testemunho para o mundo que nos rodeia e assiste;
  • Como resultado do purê de batatas, havia grande perseverança entre os irmãos da Igreja Primitiva (Atos 2.46);
  • Como resultado do purê de batatas, os crentes primitivos experimentavam muita alegria (Atos 2.46);
  • Como resultado do purê de batatas, a comunidade dos crentes primitivos vivia a simplicidade que caracteriza a toda a mensagem do evangelho (Atos 2.46);
  • Os crentes do purê de batatas original tomavam suas refeições juntos com alegria e simplicidade de coração;
  • Por conta de ser tornarem um, muitas maravilhas e sinais se faziam pelos apóstolos” (Atos 2.43) – o mesmo precisa acontecer hoje;
  • Por conta de ser tornarem um, havia constante ajuda aos necessitados, que eram atendidos em suas necessidades mais básicas (Atos 2.44-45);
  • Por conta de ser tornarem um, eles tinham muita alegria compartilhada, pela construção de relacionamentos fortes;
  • Por conta de ser tornarem um, eles atraíam novas pessoas para Jesus (Atos 2.46-47);
  • Quando nos tornamos um, trazemos abundante graça sobre os cristãos, sobre a célula (Atos 4.32);
  • Quando nos tornamos um, promovemos o crescimento autêntico da igreja de Jesus (Atos 5.14).

 

Sétimo Elemento

UM BOM ENXERTO PARA AS DUAS CÉLULAS

  • Enxerto é material, ferramenta, combustível, enchimento de qualidade, normalmente para completar ou acrescentar algo semelhante ou melhor que o original, apressando o processo de frutificação;
  • Para que a célula se multiplique com qualidade, o enxerto se faz com o preparo adequado dos auxiliares, deixando-os bem maduros, aptos, capazes, conhecendo profundamente o funcionamento da célula e como executar todos os demais elementos do seu DNA – código genético;
  • É importante levar os auxiliares e membros para o TADEL, onde devem receber instrução e encorajamento;
  • A multiplicação deve ser feita colocando liderança de qualidade nas duas células e desmembrando o povo sabiamente, para que ambas continuem mantendo o mesmo padrão de qualidade que produzirá quantidade;
  • O líder mais antigo deve continuar dando apoio e atenção ao mais novo, pois o sucesso da nova célula e do novo líder são resultado do seu trabalho;
  • Cada líder deve ter em mente que todos os membros de sua célula são auxiliares, pois a célula não deixa de ser um pequeno TADEL;
  • Uma das principais razões da existência da célula é gerar líderes, que por sua vez gerarão outros líderes, numa cadeia dinâmica de crescimento e multiplicação de quantidade e qualidade, como fica bem claro no ministério e nos ensinos de JESUS.

 

POR QUE MULTIPLICAR AS CÉLULAS

  • As necessidades dos crentes e incrédulos são mais completamente supridas num ambiente de grupo pequeno – um grupo muito grande descaracteriza;
  • A multiplicação dá aos membros da célula maior oportunidade para ministrar aos de fora, pois novas portas são abertas e novas possibilidades são criadas;
  • Em um grupo menor todos são importantes, ninguém é negligenciado;
  • Mais líderes podem ser preparados e por sua vez vão ministrar a mais gente;
  • Porque ajuda a resolver o problema físico de espaço, do abarrotamento;
  • Porque com a reunião muito grande não há muitas linhas de comunicação, e perde-se o senso de comunidade, de família;
  • Porque fica difícil trazer novas pessoas fazê-las sentir-se à vontade, integrá-las bem na vida do grupo.

 

QUANDO A CÉLULA NÃO SE MULTIPLICA 

  • Pode sofrer uma séria estagnação: A célula empaca, não vai para frente nem para trás, mas vai ficando monótona, fria, corriqueira;
  • Pode sofrer uma mutação: Ela começa a se transformar numa outra coisa: clube social, lanchonete, cassino, banca de estudos, “consultório profético”, etc.
  • Pode sofrer uma mortificação: Quando ela não consegue mais se manter viva entra em óbito. Algumas vezes acaba-se totalmente, e outras vezes é acometida por morte cerebral: o corpo ainda está lá, mas em estado vegetativo.

 

PREPARATIVOS PARA UMA MULTIPLICAÇÃO ABENÇOADA 

  • Persista em oração diante do Senhor pelos alvos e datas estipulados;
  • Continue treinando seus auxiliares;
  • Desenvolva estratégias criativas e inspiradas de evangelismo;
  • Alimente bem os novos convertidos, através do discipulado um a um;
  • Ganhe novos membros, pelo batismo e pela transferência;
  • Marque a data para a multiplicação, e divulgue-a largamente;
  • Fixe um endereço para a nova célula, garantindo um bom anfitrião;
  • Combine os detalhes com seus supervisores e pastores;
  • Organize um grande jantar de festa, para celebrar a multiplicação;
  • Convide seus supervisores e pastores para a festa da multiplicação;
  • Depois, é só monitorar o crescimento da nova célula, e tudo se inicia novamente, com muita alegria e mais uma porta aberta para anunciar o amor de Jesus!

 

Ir para lição Lição 1

share

Deixe um Comentário...

WhatsApp Br