TREINAMENTO DE LÍDERES DE CÉLULAS LIÇÃO 1 TLC

Propósito deste treinamento

  • Levar a cada membro da igreja a compreensão do que é o Projeto de Deus sobre a Terra;
  • Fazer cada discípulo de Jesus e membro da igreja a discipular outros e liderar pelo menos uma célula;
  • Fornecer ferramentas e subsídios para que os antigos e novos lideres de célula realizem com sucesso e eficiência o seu trabalho;
  • Garantir o pastoreio de todos os membros da igreja, através de muitos apascentadores especialmente treinados com esta finalidade;
  • Promover o sacerdócio real e o exercício dos dons por parte de todos os santos.

 

Lição 1

O que é uma célula

A Bíblia compara a Igreja de Cristo ao corpo humano, mostrando que diversos membros compõe um mesmo corpo. A célula é a base de todo o organismo, e a somatória delas é o que compõe o corpo.

 

Assim também é com a Igreja: a célula é o que chamamos de comunidade cristã de base, um grupo de pessoas que se reúne semanalmente para comunhão, adoração, edificação e evangelização. Mas, como o que compõe o corpo é a somatória de todas as células, reunimos todas as células semanalmente para uma celebração conjunta no templo.

 

As escrituras ordenam desenvolver relacionamentos de edificação mútua. Congregar não se resume apenas a louvor e pregação, mas também oração e ministração uns aos outros (Hebreus 10:24,25). Cada membro do corpo de Cristo é um sacerdote e deve servir a seus irmãos no Senhor, e a célula é o lugar onde melhor este princípio pode ser praticado.

 

Definição

Uma célula é um grupo de cinco (05) a dez (10) pessoas, que se reúnem uma vez por semana com o objetivo de crescimento e multiplicação. (Batista da Glória)

 

Uma célula é um grupo constituído de seis (06) a dezesseis (16) pessoas, reunindo-se semanalmente para aprender como tornar-se uma família, adorar o Senhor, edificar a vida espiritual uns dos outros, orar uns pelos outros e levar pessoas ao Evangelho. (Igreja da Paz)

 

Cada célula deve ter no mínimo cinco pessoas e não é ideal que ela ultrapasse o limite de dez. Os grupos de Moisés eram constituídos de 10 (Ex.18:21-22) e Jesus liderou doze. Dez ou doze pessoas são o número ideal de membros de uma célula. Quando atingir o limite de dez pessoas, a célula deve multiplicar-se.

 

A célula é muito maior que sua reunião. Se a célula só existe no dia da reunião, então não é uma célula, mas apenas um culto caseiro. A célula acontece a semana toda: no supermercado, no shopping, na caminhada, no lazer, nas casas, na escola. Sempre que os irmãos se encontram, a célula acontece. A primeira característica da célula é ser comunidade, e não o fato de existir como uma reunião.

 

O que não é uma célula 

Grupo de oração: normalmente esse tipo de grupo é composto de pessoas que tem a seguinte atitude: “o que esse grupo pode fazer por mim?”

 

Grupo de estudo bíblico: o problema deste tipo de grupo é que ele não estimula o compartilhar de necessidade e nem a verdadeira comunhão, pelo contrário, tende a se tornar um grupo restrito e fechado, onde o incrédulo não é bem vindo.

 

Grupo de discipulado: este tipo de grupo procura um crescimento espiritual num ambiente fechado e exclusivista.

 

Grupo de cura interior: é um tipo de grupo que usa técnicas da psicologia para buscar cura para os seus traumas emocionais. Muitos deles são estéreis, melancólicos e introspectivos.

 

Grupo de apoio: Grupos assim são semelhantes a alcoólicos anônimos: as pessoas se reúnem para falar de seus problemas, vez após vez, semana após semana.

 

Ponto de pregação: Grupos assim têm como deficiência básica o fato de não compartilharem a realidade da vida do Corpo. As pessoas vem e vão e o grupo é só um ajuntamento..

 

Qualquer grupo com as seguintes características:

  • Grupo fechado, criado só para as pessoas de um departamento da igreja;
  • Qualquer grupo que não tenha a multiplicação como objetivo; O Qualquer grupo que não se submeta à liderança geral das células; Ø Qualquer grupo que seja apenas uma reunião social.
  • Cuidado! Não se engane! Esses grupos acima não são células!

 

Onde a célula se reúne?

A maioria das células se reúne em residências. Parece que a casa, o lar, a habitação da família, tem mais afinidade com a idéia de igreja do lar do Novo Testamento.

 

Apesar de preferirmos residências, uma célula pode se reunir também em empresas (na hora do almoço), em escolas, em salões de festas (de condomínios) e em qualquer lugar onde haja um mínimo de silencio e privacidade. Só não recomendamos reuniões em bares ou lugar semelhantes. Quando a célula não se reunir numa casa, o anfitrião ale será o líder ou a pessoa que serve como referência.

SUPERIORIDADE DO MODELO DE CÉLULAS SOBRE OS MODELOS HISTÓRICOS

Abordagem de determinados temas nos dois modelos
TEMA IGREJA CONVENCIONAL IGREJA EM CÉLULAS
PERSPECTIVA E FOCO O     ponto     focal      é      a

congregação

O ponto focal é a célula
ATIVIDADES Cultos litúrgicos semanais Diariamente de uns para com os outros: comunhão e

serviço

DEVER PASTORAL Pregar bons sermões, fazer casamento e enterros, festas ocasionais e muitas visitas Modelar a vida de outros crentes para que eles ministrem
TAREFA PRIMÁRIA DO LÍDER Dirigir os programas da igreja Equipar cada crente para que ele faça o trabalho do ministério
EXPECTATIVA DOS MEMBROS Freqüência; contribuição; trabalhar em programas, assuma cargos Ministrar aos outros; desprendimento para servir e ajudar (exercer o sacerdócio)

Aprender e pratique ganhar almas e cuidar bem delas

COMPROMETIMENTO Para aumentar a instituição; uniformidade, fazer sua

função

Para prover o crescimento do reino de Deus. Unidade, vida no corpo de Cristo.
TAMANHO DOS GRUPOS Grandes, genéricos e impessoais “Comunidade Cristã Básica”
SISTEMA DE SUPORTE Tem um problema? Procure o pastor. Ele resolve tudo Os membros e líderes das células edificam uns aos

outros

PARTICIPAÇÃO DOS MEMBROS Pesquisas mostram que 10 a 15% dos membros fazem todo o trabalho. 25% são

dizimistas

Pesquisas revelam que 95% dos membros estão ministrando. 100% dizimistas

fieis

RELACIONAMENTOS Possibilidade remota. Pouca transparência. Individualismo Intima, ajudando uns aos outros. Discipulado

funcionando na prática, como estilo de vida.

PALAVRAS CHAVES “Vá e pregue o evangelho“. “Traga pessoas” “Venha e cresça conosco”.

“Então vá e faça discípulos”.

DISCIPULADO Classes, anotações. Pouca modelagem, valores não compartilhados. Informações. Da boca para o ouvido, de coração para coração,

modelagem, valores pessoais compartilhados.

EVANGELISMO Evangelismo pessoal.

Cruzadas evangelísticas.

Busca pelo “reavivamento”.

5%, ou menos, dos membros são envolvidos.

A célula é a rede de pescar muitos peixes. “Com certeza Deus está entre vocês”!

Malha fina. Avivamento constante!

LOCALIZAÇÃO Reuniões no edifício da igreja, às vezes longe e pouco acessível. Centrada nas casas, próximo do membro, em local de fácil acessibilidade.
MULTIPLICAÇÃO Lenta, e às vezes inexistente; quando acontece, é com pouca maturidade e consistência. Rápida e equilibrada, certeira, consistente. Líderes treinados na prática: “mão na massa”.

Base Bíblica para as células

Somente como exemplo podemos dizer que o próprio Deus é uma “célula” é 3 em um, Trindade! : Podemos dizer que o conceito de “célula” foi introduzido logo no primeiro versículo da Bíblia, onde lemos: “No princípio criou  Elohim os céus e a terra” (Gênesis 1.1). A palavra hebraica Elohim é  consistentemente usada para Deus nos dezesseis primeiros capítulos de Gênesis  e é, na verdade, um plural, significando mais de uma pessoa.

 

“Células” no ministério de Jesus: Jesus ensinava no lar, ministrando para  pequenos grupos de pessoas. Grande parte do Seu ministério aconteceu nas  sinagogas, às vezes no templo, e muitas vezes ao ar livre, mas uma parte  significativa de Seu trabalho e ensinos aconteceu nos lares, com um grupo pequeno de pessoas.

  • A explicação de Jesus para as parábolas do Reino era dada para o pequeno grupo de discípulos (Mateus 13:36).
  • Ele estava na casa de Pedro quando curou a sua sogra (Mateus 8:14).
  • Ele estava ensinando numa casa quando curou o paralítico, ao ser descido para o meio da sala na sua cama, pendurado do telhado (Marcos 2:1).
  • Ele visitava a casa das pessoas para curar os doentes (Mateus 8:14).
  • Entrava nas casas para ressuscitar mortos (Marcos 5:38-42).
  • Para conversar, durante uma refeição, e aconselhar aqueles que queriam segui-Lo (Lucas 7:36).
  • Entrava nos lares para evangelizar, falar da salvação: veja o exemplo de Zaqueu em Lucas 1
  • Entrava nos lares para discipular aqueles que criam Nele (Marta e Maria: Lucas 10:38-42).
  • Quando Jesus enviou os doze (Mateus 10, Marcos 6) e mais tarde quando Ele enviou os setenta e dois para ministrar (Lucas 10), Ele os enviou para as Eles foram mandados de dois em dois para ministrarem num contexto de pequenos grupos, de células.
  • Mesmo dentro daquele grupo Jesus tinha um grupo ainda menor de três discípulos (Pedro, Tiago e João), que eram parte de um relacionamento  mais chegado (Mateus 17:1 e 26:37).
  • Os ensinos de Jesus foram dados de uma forma mais completa a esse grupo de doze, e as revelações mais profundas a esse grupo de três.
  • Os doze receberam Dele bem mais do que qualquer outra platéia Eles ficaram encarregados, portanto, de passar adiante todas as coisas que Jesus ordenou.
  • Entendemos, assim, que o que faz da casa uma igreja não é apenas o seu uso para as reuniões de célula, mas também o seu cotidiano.

BASES BÍBLICO-APOSTÓLICAS PARA AS CÉLULAS NA IGREJA

Jesus escolheu pessoas simples e comuns para Seus discípulos.

Ele se preocupou mais com disponibilidade do que com habilidade.

1. A Igreja primitiva se reunia em pequenos grupos

 At 2:46-47 (46) Diariamente perseveravam unânimes no templo, partiam pão de casa em casa e tomavam as suas refeições com alegria e singeleza de coração, (47) louvando a Deus e contando com a simpatia de todo o povo. Enquanto isso, acrescentava-lhes o Senhor, dia a dia, os que iam sendo salvos.

 

At 5:42 E todos os dias, no templo e de casa em casa, não cessavam de ensinar e de pregar Jesus, o Cristo.

 

Rm 16:3-5 (3) Saúdem Priscila e Áqüila, meus colaboradores em Cristo Jesus. (4) Arriscaram a vida por mim. Sou grato a eles; não apenas eu, mas todas as igrejas dos gentios. (5) Saúdem também a igreja que se reúne na casa deles. Saúdem meu amado irmão Epêneto, que foi o primeiro convertido a Cristo na província da Ásia.

 

1Tm 3:14-15 (14) Escrevo-lhe estas coisas embora espere ir vê-lo em breve; (15) mas, se eu demorar, saiba como as pessoas devem comportar-se na casa de Deus, que é a igreja do Deus vivo, coluna e fundamento da verdade.

 

Rm 16:1-16 (1) Recomendo-vos a nossa irmã Febe, que está servindo à igreja de Cencréia, (2) para que a recebais no Senhor como convém aos santos e a ajudeis em tudo que de vós vier a precisar; porque tem sido protetora de muitos e de mim inclusive. (3) Saudai Priscila e Áquila, meus cooperadores em Cristo Jesus, (4) os quais pela minha vida arriscaram a sua própria cabeça; e isto lhes agradeço, não somente eu, mas também todas as igrejas dos gentios; (5) saudai igualmente a igreja que se reúne na casa deles. Saudai meu querido Epêneto, primícias da Ásia para Cristo. (6) Saudai Maria, que muito trabalhou por vós. (7) Saudai Andrônico e Júnias, meus parentes e companheiros de prisão, os quais são notáveis entre os apóstolos e estavam em Cristo antes de mim. (8) Saudai Amplíato, meu dileto amigo no Senhor. (9) Saudai Urbano, que é nosso cooperador em Cristo, e também meu amado Estáquis. (10) Saudai Apeles, aprovado em Cristo. Saudai os da casa de Aristóbulo. (11) Saudai meu parente Herodião. Saudai os da casa de Narciso, que estão no Senhor. (12) Saudai Trifena e Trifosa, as quais trabalhavam no Senhor. Saudai a estimada Pérside, que também muito trabalhou no Senhor. (13) Saudai Rufo, eleito no Senhor, e igualmente a sua mãe, que também tem sido mãe para mim. (14) Saudai Asíncrito, Flegonte, Hermes, Pátrobas, Hermas e os irmãos que se reúnem com eles. (15) Saudai Filólogo, Júlia, Nereu e sua irmã, Olimpas e todos os santos que se reúnem com eles. (16) Saudai-vos uns aos outros com ósculo santo. Todas as igrejas de Cristo vos saúdam.

 

1Co 16:19 As igrejas da Ásia vos saúdam. No Senhor, muito vos saúdam Áqüila e Priscila e, bem assim, a igreja que está na casa deles. JFA(RA)+

 

Cl 4:15 Saúdem os irmãos de Laodicéia, bem como Ninfa e a igreja que se reúne em sua casa. NVI

 

Fm 1:2 à irmã Áfia, a Arquipo, nosso companheiro de lutas, e à igreja que se reúne com você em sua casa. NVI

Os pequenos grupos são a força Motriz  da Igreja do Novo Testamento.

  1. As epístolas mostram que ninguém possui todos os dons; portanto, nós dependemos uns dos outros.
  • 1Co 12:14 Porque também o corpo não é um só membro, mas muitos. JFA(RA)+
  • 1Co 12:7 A cada um, porém, é dada a manifestação do Espírito, visando ao bem comum. NVI
  • 1Co 12:12 Ora, assim como o corpo é uma unidade, embora tenha muitos membros, e todos os membros, mesmo sendo muitos, formam um só corpo, assim também com respeito a Cristo. NVI
  • 1Co 12:27 Ora, vocês são o corpo de Cristo, e cada um de vocês, individualmente, é membro desse corpo. NVI
  • 1Co 14:26 “Portanto, meus irmãos, o que é que deve ser feito? Quando vocês se reúnem na igreja, um irmão tem um hino para cantar; outro, alguma coisa para ensinar; outro, uma revelação de Deus; outro, uma mensagem em línguas estranhas; e ainda outro, a interpretação dessa mensagem. Que tudo seja feito para o crescimento espiritual da igreja.” NTLH
  • Hb 10:24-25 (24) Pensemos uns nos outros a fim de ajudarmos todos a terem mais amor e a fazerem o bem. (25) Não abandonemos, como alguns estão fazendo, o costume de assistir às nossas reuniões. Pelo contrário, animemos uns aos outros e ainda mais agora que vocês vêem que o dia está chegando. NTLH 

 

FUNÇÕES DAS CÉLULAS

 

Informalidade – Ajuda a combater a religiosidade. É fácil cultivar uma vida cristã de aparência, mas aqueles que crescem num ambiente cristão de informalidade assimilam pelo exemplo a importância da transparência. Num ambiente informal as pessoas estão mais abertas ao mover do Espírito e à comunhão, praticamente impossível em reuniões maiores.

Amizade e Comunhão – Quando a igreja cresce, as pessoas correm o risco de se tornarem números e não mais receberem atenção, passando a sentir solidão no meio da multidão. As células, contudo, proporcionam um ambiente de intimidade onde a amizade é desenvolvida. Ninguém vive sozinho a vida cristã; criar vínculos é imprescindível para quem quer desenvolver uma fé sadia.

Evangelismo – Muitas pessoas jamais entrarão numa igreja evangélica por puro preconceito, tradição familiar ou pela generalização da mídia para com os evangélicos. Mas a igreja não foi chamada para ser sal e luz dentro do templo, e sim lá fora onde os pecadores estão. As estatísticas indicam que a grande maioria das pessoas se converte mediante contato com amigos ou familiares.

Crescimento ilimitado – Em todo o mundo, as igrejas em células transcendem o limite físico que seus templos comportam, pois não estão limitadas às acomodações de um prédio, mas espalhadas pelas casas; além de que são facilmente adaptáveis.

Oportunidade ministerial – No templo, poucas pessoas chegam a ter  oportunidade de exercer seu ministério, pois eles se restringem a pregação,  louvor, ensino infantil e recepção. Nas células cada membro pode exercitar seus  dons e ministérios. Sem este tipo de reunião será impossível cada um funcionar  em seu lugar (dom) no corpo de Cristo.

Pastoreio – As células que se reúnem nas casas são um tremendo meio de  acomodação e pastoreio do rebanho. Cada líder cuida bem de sua célula, pois o  número de pessoas é pequeno; por sua vez os líderes também recebem cuidado  pastoral de seus supervisores, que também recebem acompanhamento de seus  pastores, numa verdadeira cadeia hierárquica que alivia os líderes de sobrecarga.

 

O PROPÓSITO DAS CÉLULAS

 

Crescer em relacionamento com Deus: As células providenciam um lugar eficaz  para conhecer sobre Deus e crescer em relacionamento com Ele. Buscar a Jesus  numa célula também nos dá a oportunidade de aprender uns com os outros.

 

Desenvolver relacionamento uns com os outros: É cada vez mais difícil em  nossa sociedade as pessoas exercerem confiança uns para com os outros. As  células oferecem uma oportunidade segura de formar amizades seguras e  duradouras. São também ambientes ideais para que se formem as relações de  discipulado um a um.

 

Equipar e treinar: Todo crente é chamado como um ministro de Cristo e recebe o  privilégio e a responsabilidade de ministrar nos dons do Espírito (1Coríntios 12).

 

Providenciar apoio e cura: Todo mundo precisa de apoio e cura em algum  momento de sua vida. Todos enfrentamos emergências, doenças e crises pessoais. A célula é o melhor espaço para percebermos aqueles que estão em  necessidade, carentes de amor, de apoio e de oração, e ali podemos ajudá-Ios  como um grupo de amigos.

 

Providenciar cuidado pastoral adequado: É impossível para um só pastor  cuidar adequadamente de mais do que 85 pessoas! As células são um lugar onde  podemos conhecer outros e ao mesmo tempo ser conhecidos e reconhecidos.         1Pedro 5 encoraja os líderes a “pastorear o rebanho de Deus”. Na célula isto pode

ser feito muito bem por meio da oração, ensino bíblico, comunhão e  aconselhamento.

 

Fazer o que a Bíblia ensina: É através da aplicação da Palavra de Deus às  nossas vidas e por meio da submissão a esta Palavra que nós nos tornamos as  pessoas que Deus quer. Em Mateus 7:24 lemos que Jesus diz que somos sábios  se fizermos o que Ele ensinou.

 

Desenvolver novos líderes: A célula é um ambientes altamente propício para o  treinamento de novos líderes. Por meio das células as pessoas são discipuladas,  amadurecidas e conduzidas a um papel de liderança na comunidade.

 

Alcançar outros: Um foco significativo das células é alcançar outros com o  evangelho e o amor de Jesus. A célula pode visitar orfanatos, presídios, hospitais, abrigos de idosos, etc. Precisamos estar mais centrados nos outros do que em nós mesmos.

Trazer pessoas a Jesus: A célula é a ferramenta primária para o evangelismo. É  um lugar pouco ameaçador para uma pessoa que está buscando resposta para  suas questões pessoais, a qual poderá abrir-se à vontade e ser ajudada. Todos os  membros são altamente encorajados a trazer pessoas para as reuniões da célula  e demais eventos de comunhão.

 

Benefícios de pertencer a uma célula

A célula agrega valor às pessoas. Assim elas deixam de ser meros espectadores, mais um na multidão, e passam a ser pessoas que têm nome,  endereço, data de aniversário, necessidades pessoais compartilhadas, vínculos de  amizade, etc.

 

A célula aproxima as pessoas umas das outras. Tornando-as importantes e  levando-as a ter relacionamentos fortes e significativos dentro da igreja,  experimentando o sentido uma verdadeira igreja família.

 

A célula facilita o atendimento às diversas necessidades espirituais e  materiais de cada pessoa do grupo, pois através do líder e dos auxiliares de  célula, o grupo pode facilmente cuidar bem de cada um.

 

As células ajudam a descobrir e identificar os dons das pessoas. Dão  oportunidades para cada pessoa participar significativamente na vida da igreja.  Nem todos serão pastores ou professores na escola ministerial, mas nas células  há oportunidade para que todos participem em alguma atividade importante.

 

As células ajudam a alcançar pessoas que nunca iriam numa “igreja de crente”.  Por preconceito ou qualquer outra razão, porém aceitam ir e sentem muito  confortáveis numa reunião de célula na casa de um amigo ou mesmo na casa de  um vizinho, pois lá está a igreja reunida num ambiente totalmente informal e  familiar.

 

As células viabilizam a concretização do amor fraternal. Isso produz segurança  para os membros, pois cada pessoa torna-se parte da família, produzindo assim  um ambiente de proteção onde cada um cuida do outro.

 

Na célula não há lugar para liturgia e formalismo religioso, pois tudo é feito  num ambiente espontâneo e informal. Não há espaço para shows de qualquer  espécie, pois na célula o centro das atenções é somente Jesus.

 

As células facilitam o processo de ensino-aprendizagem. Ali todos têm a  oportunidade de falar e participar durante o estudo. Diferente dos cultos de  celebração, onde a participação é limitada a alguns poucos.

 

As células viabilizam o crescimento numérico da igreja. As pessoas estão  sempre motivadas a ganhar outros para Jesus. Fazem isso convidando novas  pessoas, visitando e evangelizando amigos, vizinhos, parentes, colegas do  trabalho, colegas de escola, etc. Nossas células são “redes espirituais”.

 

As células Integram os novos decididos com maior eficácia. Ela é o melhor  ambiente para cuidar dos novos convertidos, proporcionando acompanhamento e  alimento necessário para o seu crescimento espiritual. Assim, chamamos as  células de “berçário” para os novos bebês e “celeiro” para pôr o trigo.

 

As células estendem os limites de crescimento da igreja. A estratégia das  células nos liberta da idéia de que a nossa “missão” acaba quando o prédio se  enche, pois com células o nosso crescimento é ilimitado. O nosso lugar de reunião  é a casa dos irmãos, e os cultos de celebração podem ser feitos em dias e  horários diferentes no mesmo prédio.

 

As células ampliam as possibilidades de engajamento de todos os membros  da igreja no ministério cristão. A célula nos liberta também da idéia errada de  que a obra de Deus só deve ser feita por pessoas de tempo integral financiadas  pela igreja. Com as células a maior parte do trabalho de aconselhamento,  pastoreio, visitas, etc. é feito por voluntários, uma vez que todos somos um reino  de sacerdotes.

 

A célula é um dos melhores instrumentos de formação de novos líderes, com  respaldo ministerial e capacidade reconhecida pelo povo. Assim, nossos líderes  não são colocados nessa posição por meio de eleição, ou por ter concluído um  curso de seminário ou instituto bíblico, mas por experiência e evidência do seu  chamado.

 

As células ajudam a fechar a porta de trás da igreja. Qual é o pastor que um  dia já não perguntou a si mesmo, e a outros, o seguinte: “O que fazer para evitar a  evasão de membros da minha Igreja?”.

 

As células são ágeis instrumentos de mobilização do rebanho. Para mobilizar  toda a igreja, basta dar cinco telefonemas para os líderes certos, das células.

 

As células levam a presença da igreja em todas as direções geográficas da  cidade. Onde tem uma célula, a igreja está presente. Expansão e saturação.

 

Na célula as pessoas passam a ser conhecidas com elas realmente são: As  máscaras caem. Numa igreja grande as pessoas podem ser apenas mais um  na multidão, mas numa igreja em células mais cedo ou mais tarde todos vão entrar no sistema do discipulado um a um e começar receber ajuda no nível pessoal.

 

ELEMENTOS HUMANOS COMPONENTES DE UMA CÉLULA

 

Membros: Todos aqueles que se reúnem regularmente, no grupo pequeno, com a intenção de exercer as funções e princípios já estudados nesta lição, de acordo com o modelo adotado e praticado na Igreja Batista da Glória. Normalmente é alguém convertido e que já está sendo devidamente acompanhado por um discipulador. Se não, isso deve ser corrigido o mais rápido possível.

 

Anfitriões: É aquele que abre a sua casa com disposição e amor para o funcionamento da célula. Deve ser hospitaleiro e receber bem os irmãos. Deve manter sempre um sorriso aberto para com todos. É possível uma casa hospedar mais de uma célula em dias diferentes da semana. Também é normal haver uma célula de adultos e outra de crianças se reunindo simultaneamente na mesma casa.

 

O ideal é termos grupos somente em casas onde os dois cônjuges são crentes. Entretanto, há circunstâncias onde este padrão não pode ser seguido. Existem bons grupos, que funcionam em casas onde apenas um dos cônjuges é convertido. Se o não convertido não se opõe, podemos ter uma célula saudável em sua casa.

 

Líder da célula: É um membro que amadureceu, entendeu a visão e o propósito do Reino de Deus e da igreja local, e está disposto a exercer o sacerdócio em benefício dos outros irmãos. Ele doa seu tempo, dons e talentos para ver a Grande Comissão de Jesus se cumprir na sua vida, sua família, sua igreja e no mundo.

 

O líder de células é alguém que cumpriu com todos os requisitos para assumir tal função. Ele está avançando no Trilho de Liderança da igreja, o que significa dizer que ele tem discipulador e discípulos, e reúne-se regularmente com todos eles. Ele freqüenta o Culto de Celebração e o Tadel, é dizimista fiel, tem uma família exemplar, entre outros requisitos. Mais detalhes serão abordados a fundo no decorrer deste treinamento.

 

Supervisores: São aqueles líderes que já multiplicaram suas células várias vezes e agora funcionam na posição de “bispos”, ajudando a garantir o bom andamento das células. Os Supervisores de Setor, que cuida de cinco ou mais células, assim como os Supervisores de Área, Pastores de Distrito e Região, bem como os Pastores de Rede, são todos supervisores, apenas com a diferença de que alguns têm responsabilidades maiores do que outros.

Pastor da Visão: É o pastor titular da igreja, o coração central onde todas as

“veias” da igreja estão ligadas. A visão e a responsabilidade final das células são dele, não podendo ser transferidas ou delegadas, apenas compartilhadas com todos os demais níveis acima. Se não for assim a igreja sofrerá, e não refletirá os anseios do Espírito Santo para o cuidado eficiente do rebanho.

 

Ir para lição Lição 2

share

Deixe um Comentário...

WhatsApp Br