Rebelião Espiritual

Vidas Para Cristo
Vidas Para Cristo

Últimos posts por Vidas Para Cristo (exibir todos)

Rebelião Espiritual
 
 
Introdução
 
     Acho importante abordarmos este assunto, pois vemos muitos cristãos desrespeitando, insultando, desmerecendo as autoridades constituídas, não só as autoridades humanas mas principalmente as autoridades espirituais. Temos vivido um tempo caracterizado pela desobediência, rebeldia, falta de submissão. Na família, na escola, no trânsito, na Igreja as pessoas não querem obedecer as leis e não se submetem as autoridades.
Como vemos em Isaías 14:12-15 e em Ezequiel 28:14-17, o arcanjo se transformou em Satanás quando tentou usurpar a autoridade de Deus, competir com Deus e se tornou adversário de Deus. Podemos afirmar então que a rebeldia têm sua essência em Satanás, ele a instaurou, e os que a praticam, ou seja, os rebeldes, se assemelham a ele, têm o seu caráter.
    Deus, porém, instituiu a obediência. Criou os anjos, os homens e todas as coisas, por isso, toda a criação está sujeita a Ele, nosso Deus. 1Coríntios 15:27-28. Fomos chamados, escolhidos também à obediência. 1Pedro 1:2.
    Devemos entender que toda autoridade é constituída por Deus.Romanos 13:1-2.
Existem várias ilustrações bíblicas que tratam deste assunto. Iremos refletir somente sobre duas histórias que estão no livro de Números.
A. A murmuração de Miriã e Arão. Números 12.
1. As diferenças pessoais ou de opinião não devem levar-nos a questionar a autoridade (v.1).
2. Deus delega sua autoridade soberanamente, nunca devemos comparar-nos com a autoridade nem pensar que nós faríamos melhor (v.2).
3. Deus ouve a murmuração acerca da autoridade (v.2b).
4. Deus mesmo sai em defesa da autoridade criticada (v.4).
5. Devemos ter temor de falar contra a autoridade (v.8).
6. A murmuração acarreta juízo de Deus (v.10).
B. A rebelião de Coré, Datã e Abirão. Números 16.
1. Para Deus não somos todos iguais quanto a autoridade, Ele deposita sua autoridade em quem Ele quer (v.3).
2. Não devemos olhar o homem, mas de onde vem a autoridade que possui (v.3).
3. Deus sempre sai em defesa da autoridade (v.5).
4. A inveja e a inconformidade abrem a porta para a rebeldia (v.9).
5. Atacar a autoridade é atacar o próprio Deus (v.11).
6. A rebeldia fecha a comunicação e deforma a realidade (v.12-14).
7. O espírito de rebeldia é perigosamente contagioso. (v.41-42).
8. O juízo de Deus a rebeldia é algo imediato.(v.31-35).
Conclusão
A rebeldia assume várias formas diferentes e tem os mais variados resultados e consequências. A raíz da rebeldia, no entanto, permanece a mesma: o pecado de desobediência deliberada. O espírito de rebeldia não agrada a Deus.
A rebeldia pode ir diretamente contra Deus, contra os pais, contra a lei ou contra a igreja, mas no final, toda rebeldia é contra Deus, porque viola os padrões de autoridade que Ele estabeleceu.
Que possamos refletir se de alguma forma, em algum momento, fomos ou estamos sendo rebeldes, em casa, na escola, no emprego, no ministério.
Será que estamos sendo obedientes quando não honramos compromissos, horários, funções, metas a serem cumpridas, quando falamos mal uns dos outros e da liderança?
Será que estamos fazendo o que nos pedem sem murmuração, ou fazemos de acordo com a nossa vontade, o que “dá na cabeça”, seguindo outra direção, contrária a que nos foi designada?
Deus não tem compromisso com os rebeldes. As portas estão fechadas para os mesmos. Porém, seguindo o que está escrito em Números 16: 47-48, o que aplaca a ira de Deus é o arrependimento. Talvez se Moisés e Arão não tivessem feito expiação pelo povo imediatamente, toda a nação de Israel teria morrido, mas houve o arrependimento e cessou a praga.
Se arrependa de toda forma de desobediência deliberada, rebeldia, e toda praga, maldição, cessará na sua vida. 2Crônicas. 7:14.
Transcrito por: Rejane Torres.

Deixe um Comentário...

WhatsApp Br